"Qualquer amor é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura."
- João Guimarães Rosa

domingo, 24 de novembro de 2013

Além de relaxar massagem faz bem para saúde


Massagens regulares podem melhorar o sistema imunológico e ajudar a combater a depressão


Graças à liberação de hormônios calmantes, como endorfina e oxitocina, uma boa sessão de massagem é capaz de aliviar tensões e dores musculares e aumentar a sensação de bem-estar. Mas as manobras sobre o corpo fazem mais do que apenas relaxar.

Pesquisas realizadas pela Clínica Mayo, nos Estados Unidos, comprovam que se submeter a massagens regulares fortalece o sistema imunológico contra gripes, resfriados e alergias, ajuda a diminuir a retenção de líquidos e ainda auxilia no emagrecimento, quando aliada a dieta e exercícios físicos. Outros estudos americanos recentes também apontam a eficiência da prática no combate a irritabilidade e depressão, sintomas relacionados a várias doenças.

Apesar dos fins terapêuticos, massagens como a modeladora e a drenagem linfática são as mais procuradas em clínicas devido aos benefícios estéticos.

– Esses dois tipos de massagem, embora tenham técnicas diferentes, ativam a circulação em áreas com celulite e gordura localizada, melhorando o metabolismo e a oxigenação das células. Entre os benefícios, estão a redução da retenção de líquidos e a melhora do aspecto de fibrose (nódulos de gordura) – explica a massoterapeuta e enfermeira Salete Teles, de Caxias do Sul.

Nenhuma massagem dói, mas a relaxante, feita para aliviar tensões musculares, pode causar desconforto. Nas clínicas, além da massagem manual, costuma-se aliar tratamentos para redução de medidas, como corrente russa (terapia com impulsos elétricos), drenagem linfática feita por aparelho, eletrossucção (o vácuo promove uma vasodilatação momentânea, auxiliando na drenagem) e aparelhos de infravermelho, ultrassom e laser, usados para quebrar as células de gordura.

Antes de fechar um pacote de massagem, é importante levar em conta a especialização e a experiência do profissional. Além disso, quem tem doenças renais, na coluna ou câncer, entre outras, deve consultar um médico.

Drenagem linfática: de ação anti-inflamatória, facilita o escoamento do líquido linfático retido nos tecidos subcutâneos, que causa inchaço e desconforto. Ajuda no controle de edemas após procedimentos como a lipoaspiração.

Massagem modeladora: técnica que busca reduzir celulite e flacidez e eliminar gordura. É executada com movimentos vigorosos para desbloquear os nódulos. Também melhora a tonicidade muscular.

Massagem terapêutica: para aliviar dores músculo-esqueléticas, como nas costas. Também pode ser aplicada em casos de estresse para liberar os pontos de tensão muscular.

Massagem relaxante: técnica mais suave, que utiliza movimentos deslizantes e leves, proporcionando conforto e descanso. É indicada para relaxamento e efeito antiestresse.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Nervo ciático

O nervo ciático é o principal nervo dos membros inferiores. Ele controla as articulações do quadril, joelho e tornozelo, e também os músculos posteriores da coxa e os músculos da perna e do pé. O nervo ciático é o mais longo do corpo humano – liga o dedão do pé à região lombar –, mas a fama não vem de seu comprimento, e sim da dor causada por ele, a “ciatalgia”, que atinge cerca de 15 % de população e pode causar muito desconforto.Como o ciático é responsável pela enervação dos membros inferiores, a dor pode ocorrer em vários lugares, porém os mais comuns são a região glútea posterior, o dedão do pé e a face lateral da coxa e da perna.

Inflamação do nervo ciático (Ciática)

O que é ciática - A ciática é dor na perna devido à irritação do nervo ciático. Essa dor geralmente vai da parte posterior da coxa até a parte posterior da panturrilha, e pode se estender até os quadris e pés. Em adição à dor, pode haver entorpecimento e dificuldade de movimentação e controle da perna.
Embora a ciática seja uma forma de dor relativamente comum, o verdadeiro significado do termo é muitas vezes mal compreendido. Ciática é a série de sintomas, e não o diagnóstico para o que está irritando o nervo e causando dor.
Causas da ciática - A ciática é geralmente causada pela compressão da raiz do nervo na espinha lombar, e bem menos comum pela compressão do próprio nervo ciático. Desta forma, a “verdadeira ciática” é causada pela compressão na raiz do nervo por uma hérnia de disco, engrossando e enlargando e/ou desalinhando a vértebra. A “pseudo-ciática” é causada pela compressão de seções mais periféricas do nervo, geralmente através de tensão de tecido mole no piriforme ou outro músculo relacionado.
Hábitos posturais não-saudáveis, como ficar tempo excessivo sentado em cadeira ou dormir em posição fetal, juntamente com alongamento e exercício físico insuficiente das áreas miofasciais relevantes, podem ocasionar problemas vertebrais e no tecido mole associados à ciática. Outras causas da ciática incluem infecções e tumores.
Ciática também pode ocorrer durante a fase tardia da gravidez, seja como resultado do útero pressionando o nervo ciático, seja secundariamente em decorrência da tensão muscular ou compressão vertebral associados ao peso extra e mudanças de postura.
Tratamento da ciática - Uma vez que várias condições podem comprimir as raízes do nervo ciático e causar ciática, as opções de tratamento geralmente diferem. O tratamento da causa por trás da compressão é geralmente a prática mais eficiente. Quando a causa é devida ao disco intravertebral lombar prolapsado ou com hérnia, pesquisas têm mostrado que, com o tratamento de suporte para aliviar a dor, em 90% dos casos há recuperação sem intervenção específica. A maioria dos casos de ciática pode ser tratada eficientemente com fisioterapia ou massoterapia (especificamente terapia neuromuscular), e mudanças apropriadas de hábitos e ambiente (por exemplo alcochoamento, altura da cadeira e mesa, exercícios, alongamento). Outras opções de tratamento conservador incluem Terapia do Movimento Somático, anti-inflamatórios e analgésicos. Em torno de 10-20% dos casos a cirurgia é necessária para corrigir o problema.

Descrição e Diagnóstico

A Dor no Nervo Ciático é uma Doença ou um Sintoma? A expressão dor no nervo ciático é comumente usada para descrever uma dor que se propaga ao longo do nervo ciático. A dor no nervo ciático é um sintoma causado por uma doença que ocorre na coluna lombar. O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano, tendo o diâmetro aproximado de um dedo.
As fibras do nervo ciático iniciam na 4ª e na 5ª vértebras lombares (L4, L5) e nos primeiros e escassos segmentos do sacro. O nervo passa através do forâmen ciático, logo abaixo do músculo Piriforme (rotação lateral da coxa), passa pela extensão posterior do quadril e parte inferior do Gluteus Maximus (músculo das nádegas, extensão na coxa). A seguir, o nervo ciático se estende verticalmente para baixo pela parte posterior da coxa, atrás do joelho, ramificando-se nos músculos dos tendões (panturrilha), seguindo para baixo até os pés.

Sintomas da Dor no Nervo Ciático

A dor no nervo ciático geralmente afeta um lado do corpo. A dor pode ser sutil, aguda, como uma queimação ou acompanhada por choques intermitentes de dor aguda, começando nas nádegas e se prolongando para baixo por trás ou pelo lado da coxa e/ou perna. A dor no nervo ciático se estende até abaixo do joelho e pode ser sentida nos pés. Algumas vezes, os sintomas incluem torpor e dormência. Sentar ou tentar se levantar pode ser doloroso e difícil. Tossir e espirrar pode intensificar a dor.

A Causa: Compressão do Nervo

A compressão do nervo ciático pode causar qualquer um dos sintomas citados acima. A lesão no nervo raramente é permanente e a paralisia representa um risco raro, já que a medula espinal termina antes da primeira vértebra lombar. Porém, um aumento na fraqueza do tronco ou perna, ou incontinência da bexiga e/ou intestinos é uma indicação de Síndrome de Cauda Eqüina, uma doença séria que requer tratamento de emergência.
As doenças da coluna lombar que costumam causar compressão do nervo ciático incluem: • Hérnia de Disco, a causa mais comum de dor no nervo ciático na coluna lombar. • Doença Degenerativa de Disco, um processo biológico natural associado ao envelhecimento, costuma causar fraqueza ao disco, podendo ser o precursor de uma hérnia de disco. • Estenose da Coluna Lombar, um estreitamento de uma ou mais passagens neurais, devido à degeneração do disco e/ou artrite nas facetas. O nervo ciático pode sofrer pressão como resultado dessas mudanças. • A Espondilolistese do Istmo resulta de uma fratura por pressão, geralmente na 5ª vértebra lombar (L5).
A fratura, combinada com o colapso do espaço discal, pode fazer com que a vértebra escorregue para frente em direção ao primeiro segmento da região do sacro (S1). O deslizamento pode causar um pinçamento da raiz do nervo em L5 ao sair da coluna.
Tumores da Coluna e Infecções são outras doenças que podem comprimir o nervo ciático, mas são raros.
Há outras condições que podem ocorrer, podendo parecer com uma dor do nervo ciático, mas são difíceis de diagnosticar.

Diagnóstico da Dor do Nervo Ciático

O exame médico inclui o histórico médico do paciente, uma revisão dos medicamentos atuais, um exame físico e neurológico e, se garantido, raios-x, tomografia computadorizada e/ou ressonância magnética. Um diagnóstico apropriado requer uma análise da dor do paciente. Geralmente, é fornecido ao paciente um Diagrama da Dor para ilustrar a sensação e distribuição da dor (por ex., dormência e queimação).
As perguntas do médico podem incluir: • “Como a dor começou?” • “Numa escala de 1 a 10, sendo que 10 representa a pior dor que se possa imaginar, classifique a sua dor.” • “A dor piora se você sobe ou desce uma ladeira?” • “Como a dor afeta suas atividades diárias?” • “Que tipo de tratamento foi tentado e o que surtiu algum efeito?”
Observa-se a extensão do movimento do paciente. Testa-se os reflexos e a força muscular. O médico pode usar um ou mais testes de movimento para determinar a fonte ou causa da dor.

Tratamento e Recuperação Tratamento Não-Cirúrgico

A dor no nervo ciático geralmente responde bem a formas não operativas de tratamento e dificilmente há indicação cirúrgica como primeira forma de tratamento. Tempo, medicamentos antiinflamatórios não-esteróides (AINES), uso em curto prazo de medicamentos narcóticos para dor aguda, injeções lombares e fisioterapia são benéficos. Embora seja recomendado repouso na cama por um prazo curto durante a fase aguda, é bom realizar alguma atividade. Nesse contexto, “atividade” é definida como permanecer em pé por períodos de tempo que não causem dor muito forte. A prescrição de exercícios poderá incluir alongamento, caminhada e exercícios aeróbicos.

Cirurgia

A cirurgia não é recomendada para todos os pacientes. Porém, em algumas situações, a cirurgia pode ser indicada. Pacientes que seguiram as orientações de um tratamento não-cirúrgico durante quatro a seis semanas sem alívio, certamente necessitam ser reavaliados por seu médico. Se um exame de ressonância magnética revelar hérnia de disco ou estenose da coluna vertebral, uma cirurgia poderá promover alívio para a dor nas pernas. O tipo de procedimento cirúrgico depende, em parte, da condição e do diagnóstico do paciente.

Recuperação

Se o tratamento para a dor no nervo ciático for não-operativo ou se for cirúrgico, sempre é bom seguir as instruções dadas pelo médico e/ou fisiatra. Procure aliviar a tensão mecânica desnecessária da coluna. Por exemplo, ao ficar em pé, descanse um pé sobre um banquinho alternando com a outra perna. Ao dirigir, coloque um travesseiro pequeno ou uma toalha enrolada nas costas para manter a curvatura natural da coluna. Na hora de ir para a cama, deite de costas com um travesseiro sob os joelhos ou entre as pernas se dormir de lado. Procure se alimentar de modo saudável, procurando manter seu peso ideal e evite fumar. Este estilo de vida faz toda a diferença para a saúde da coluna.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

A grande maioria dos cirurgiões plásticos consideram a massagem uma grande aliada no pré e no pós-operatório de cirurgias plásticas de abdômen, lipoaspiração, lipoescultura, cirurgia de mamas ou na face. Isso porque ela estimula o organismo a reagir eliminando os líquidos que causam o inchaço e os edemas. Resultando em uma excelente recuperação!
A drenagem linfática tem um lugar de destaque entre os tratamentos aplicados em Medicina Estética. Ela pode ser realizada isoladamente ou em associação com outros tratamentos. É um procedimento que tenta auxiliar o organismo num processo natural para drenar os líquidos que devem ser eliminados.
Em uma conversa com a esteticista Janaína Luzia Ferreira, ela nos confidenciou a verdade sobre a drenagem linfática pré e pós cirurgia plástica. Segundo Janaína benefício principal é evitar a retenção de líquidos no organismo, mas também melhorar a circulação sanguínea e aliviar dores. Ela também melhora  a celulite, alívio nas dores musculares, pernas cansadas e na redução do edema da tensão pré-menstrual uma maravilha não é mesmo?!
Ela é feita com  movimentos suaves de deslizamento dos dedos sobre a superfície da pele, seguindo um trajeto que acompanha os vasos linfáticos. Deve ser realizada por profissionais que realmente tenham um conhecimento de anatomia e do funcionamento do sistema linfático, pois se for realizada por mãos sem habilidade, não surtirá seus benefícios.
A drenagem linfática também é utilizada na face tanto no pós-operatório de cirurgias plásticas quanto no tratamento de acne, rosácea, olheiras e faces que apresentam-se inchadas e muitas vezes associada aos tratamentos em medicina estética.
Os benefícios da drenagem linfática não deixam dúvidas. Os resultados são visíveis logo após a primeira sessão. Indicada também para pessoas que estão passando por momentos de excesso de estress , baixa auto-estima e ansiedade já que traz relaxamento e bem estar.
Além disso, a drenagem   desintoxica o organismo, aumentando a freqüência urinária, reduzindo a sensação de peso nas pernas  permitindo que se restabeleça a circulação linfática correta. Marque já uma sessão e experimente! Você vai adorar!
Até mais. Beleza e Saúde!
Flávia Palombini

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

ESPONDILOTERAPIA;    Terapia Vertebral, corrigindo desvios e aliviando dores

A técnica pode ser aplicada mesmo em casos de osteoporose e usa, para diagnóstico, métodos da medicina tradicional, como radiografia, ressonância magnética e tomografia, auxiliares na escolha dos movimentos a serem praticados e evitados. Conhecida como Espondiloterapia, atua tanto em casos crônicos quanto reincidentes ou agudos.
A Espondiloterapia, ou Terapia Vertebral (do grego espôndilo = vértebra), tem como objetivos básicos corrigir desvios, aliviar dores e atuar reflexologicamente, tratando de problemas de outros órgãos do corpo e melhorando suas funções através dos nervos radiais e plexos que partem de cada vértebra.A técnica, assim batizada pelo professor de yoga e terapias naturais Helder Carvalho, foi desenvolvida ao longo de mais de 20 anos de prática com terapias corporais variadas, tais como massagem sueca, drenagem linfática, do-in, tui-na, shiatsu, massagem ayurvédica, yoga, RPG e mais especificamente as técnicas manipulativas: sei-tai, osteopatia, quiroprática.
O tratamento deve ser personalizado. Utilizamos manobras com movimentos lentos e de baixo impacto, que impedem agressão ao paciente, na maioria das vezes já com dores agudas e/ou crônicas. Normalmente, iniciamos com movimentos para um relaxamento muscular, aliviando tensões nos nervos ou nódulos causados por estresse - toques que ativem e tonifiquem alguns meridianos, principalmente os de eliminação, como os da bexiga.Geralmente quem nos procura, são indivíduos com lombalgias, cervicalgias e dorsalgias.
Na maioria das vezes as dores decorrem de cronicidade (ou seja, dores antigas que voltam), reincidência (problemas que foram tratados, mas retornam) e de casos agudos (dores muito fortes que impedem até os mais simples movimentos).
Esta técnica pode ser aplicada inclusive em casos de osteoporose, visto que as manobras são suaves e personalizadas.Os principais problemas que a espondiloterapia trata são cifose, escoliose e lordose, geralmente causadas por má postura; também podem ser congênitos ou hereditários. Quando os desvios são posturais os problemas podem ser estéticos, principalmente a cifose dorsal (corcunda). Conseqüências dolorosas da lordose podem decorrer de crises ciáticas, prolapsos de disco, espondilose e espondilolistese.
A escoliose geralmente decorre de grave deformidade não compensatória ou de significativo desnível de bacia pélvica ou escapular.
Algumas vezes a pessoa dorme mal, em postura inadequada, ou usa colchão e/ou travesseiros que aumentam o problema, já que se passa muitas horas deitados. Como exemplos vemos os torcicolos, dormências etc. Outras origens de dores estão na ginástica, musculação e até mesmo em serviços domésticos.
Para se tratar com a espondiloterapia iniciamos com anamnese, leitura corporal e, dependendo do caso, radiografia, ressonância magnética ou tomografia, que podem auxiliar na escolha dos movimentos a serem praticados e evitados. É necessário analisar cada caso e verificar se o espondiloterapeuta sabe e pode tratá-lo, ou se é preciso outro encaminhamento terapêutico.
Também precisamos analisar por quanto tempo será necessário o tratamento. Se preciso indicamos uma série de dez sessões.
Dependendo do caso, o tratamento exige sessões semanais e uma duração maior.
Fonte: Artigo de Silvia Regina publicado no Jornal Karmajá - Agosto/2000

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Massagem para Fibromialgia

Massagem para Fibromialgia

                          

 A massagem, em geral, é feita de forma leve e personalizada em cada cliente, porque cada pessoa com fibromialgia tem características diferentes.

Benefícios

Auxilia na diminuição dos sintomas que a doença provoca, pois melhora a circulação sanguínea e a oxigenação celular e tecidual e reduz as dores.

Mais sobre a técnica

A massagem em geral é boa para pessoas que sofrem de fibromialgia, porque estimula a circulação e libera hormônios anti-estresse.  A técnica se utiliza de várias formas de massagem para obter o máximo de eficácia no tratamento. A massagem relaxante, estímulos de pontos de gatilho e pedras quentes são usados com ótimos resultados. A massagem, em geral, é feita de forma leve e personalizada em cada cliente, porque cada pessoa com fibromialgia tem características diferentes. Normalmente, o cliente começa a ter uma boa melhora depois de 3 a 8 sessões de massagem. Lembrando sempre que as massagens não substituem os tratamentos e diagnósticos do médico.

O que é fibromialgia?

É uma dor na musculatura ou nos tecidos moles do corpo. Fibromialgia vem das palavras em latim: “fibro” - tecido, “myo” – músculo, “algos” - dor. Em geral, a dor é crônica ou vai e volta com freqüência. É muito comum as dores mudarem de local pelo corpo, um dia doem as pernas, no outro dia a cabeça e assim por diante. Muitas vezes, a dor aumenta com o toque ou pressões na área dolorida. Outros sintomas da fibromialgia são cansaço, dores nas articulações, intestino preso, formigamento, angústia, depressão e estresse. Mas é bom lembrar que os sintomas acima não correspondem a todas as pessoas com fibromialgia. Algumas têm poucos sintomas e outras mais.
Dados mostram que, em torno de 2% a 4% da população têm alguma forma de fibromialgia, mas até hoje ninguém conseguiu provar a origem da doença, e também não surgiu algum remédio ou tratamento que garanta uma melhora. Antigamente, os pacientes com fibromialgia não eram levados muito a sério por causa da falta de provas da doença, o que piorava o quadro. Muitos eram chamados de “complicados” ou “aquele que sempre reclama de dores sem ter nada”.
A massagem, porém, sempre foi muito aceita como tratamento da doença porque alivia a tensão muscular e trata o estresse e a angústia, estimulando hormônios do bem-estar e acionando a divisão parassimpática do sistema nervoso autônomoresponsável por deixar a pessoa calma. Outra terapia usada para fibromialgia, que normalmente gera bons efeitos, é o exercício físico leve.
Até hoje existe uma controvérsia sobre a fibromialgia. Muitos médicos não acreditam que é uma doença, por não haver evidências físicas envolvidas no problema. Mas o consenso hoje em dia é de que a origem da doença é psicológica de menor ou maior proporção. Outros estudos mostram que a fibromialgia pode ser um estado de reumatismo em que os músculos, tendões e ligamentos estão afetados.
Outros fatores externos agravam o quadro dos pacientes com este problema. Um acidente, esforço físico, doenças como gripe ou resfriado podem piorar as dores no corpo de forma generalizada. Muitas pessoas que sofrem da doença a sentem mais num dia de frio ou num dia de calor, ou quando a temperatura muda rapidamente. Emoções fortes, sustos, medo ou algum trauma também podem ser gatilhos para a doença.
Independentemente da origem do problema, é bom lembrar que quem sofre de fibromialgia tem uma qualidade de vida reduzida. As dores complicam o dia-a-dia de tal forma, que elas sofrem na vida pessoal e professional, tudo fica mais difícil de se realizar. É mais cansativo trabalhar quando se sente dores. A pessoa se priva de sair com os amigos ou viajar porque sabe que para ela vai ser mais difícil. E assim começa um círculo vicioso de isolamento, o que leva a mais angústia e estresse, ou até a uma depressão.
O fato de que a qualidade de vida do paciente diminui já é suficiente para levá-lo a sério, algo que o Espaço Bergqvist na Suécia e no Brasil faz há mais de 30 anos. É com muito orgulho que, muito antes de existir o nome fibromialgia, numa época em que a medicina tradicional em boa parte desacreditava das pessoas com a doença, nós já as atendíamos com todo respeito e ótimos resultados.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Estresse dói





Chateações em casa ou no trabalho, sapos engolidos, ansiedade, violência, medo de perder o emprego, pavor de engordar, receio de não dar conta da agenda apertada... Para a maioria de nós, as emoções geradas por essas e outras preocupações fazem parte do estresse diário e têm um destino certo: a musculatura. Sem perceber, começamos a segurar o telefone com força, a apertar a mandíbula, a manter os ombros curvados e a contrair os músculos das costas. O resultado é uma dor crônica pelo corpo, fruto de anos de tensão muscular. “A rigidez causa dor, porque na área contraída a circulação do sangue fica mais difícil e a oxigenação dos tecidos é prejudicada, impedindo a eliminação de toxinas. O incômodo é pior se a tensão no local chega a comprimir os nervos”, explica Maria Thereza Bortolo, especialista em eutonia, uma técnica que melhora a consciência corporal.
Não dê as costas para a dor 
Como eliminar todas as fontes de estresse é impossível, o melhor caminho para ficar livre das dores é aprender a lidar com as pressões. “Se em vez de sufocar sentimentos como a raiva, o medo e a humilhação, passamos a aceitá-los e a expressá-los com maturidade na hora em que eles aparecem, agimos no sentido de evitar novas tensões e dores musculares e até mesmo de aliviar as antigas, que estão ‘congeladas’ e podem incomodar por anos a fio”, garante o médico e psicoterapeuta Ricardo Rego, professor e diretor do Instituto Brasileiro de Psicologia Biodinâmica, de São Paulo.
Ou seja, se você não resolve o problema na hora (foge, arruma uma válvula de escape), ele se acumula em forma de tensão no corpo. E vai fazendo mal, causando vários sintomas psicossomáticos, como a dor. “Pessoas deprimidas e ansiosas são as que mais sofrem de dores nas costas, por exemplo. Para melhorar, elas deveriam passar a acreditar mais no próprio potencial e readquirir a auto-estima”, ensina o reumatologista José Goldenberg, vice-presidente do Hospital Albert Einstein e autor do livro Coluna Ponto e Vírgula (Ed. Atheneu).
Enquanto insistimos em manter a mesma postura diante da vida, outra saída bem menos complicada é buscar o bem-estar por meio de massagens e outras técnicas de manipulação de partes do corpo. Elas, literalmente, ‘tiram com as mãos’ as dores causadas por estresse e, de quebra, induzem à produção de substâncias que podem atuar no equilíbrio emocional.
O ALÍVIO ESTÁ NAS MÃOS DE ESPECIALISTAS 
SE SUAS DORES SÃO MESMO FRUTO DO ESTRESSE — E NÃO DE UMA HÉRNIA DE DISCO OU ATÉ DE UM TUMOR NAS COSTAS, POR EXEMPLO — O VAIVÉM DAS MÃOS DE UM ESPECIALISTA QUALIFICADO, CAPAZ DE DIFERENCIAR A CAUSA DA DOR, COSTUMA SER UM EXCELENTE REMÉDIO. CONFIRA, A SEGUIR, AS MASSAGENS E TÉCNICAS MAIS INDICADAS PARA ESSES CASOS. O IDEAL É FAZER AO MENOS DEZ SESSÕES — TEMPO MÍNIMO QUE UM ORGANISMO ESTRESSADO LEVA PARA COMEÇAR A RESPONDER AO TRATAMENTO.
MASSOTERAPIA, A MASSAGEM OCIDENTAL
O que é 

O ocidente também aceita o poder da massagem, tanto que é um dos recursos utilizados por fisioterapeutas para curar e reabilitar vítimas de traumas físicos (como estiramentos musculares), para controlar a dor, melhorar a circulação sangüínea e aumentar a flexibilidade das articulações. A explicação para os benefícios do vaivém das mãos, nesse caso, remete a reações fisiológicas já comprovadas. O toque dos dedos e das mãos na pele estimulam o fluxo do sangue (permitindo mais oxigênio para os tecidos e células) e a circulação linfática (responsável pela liberação de toxinas pelo organismo). Além disso, milhões de receptores nervosos sob a pele enviam sinais para o cérebro que, por sua vez, responde com a liberação de substâncias que dão a sensação de bem-estar e aliviam as dores — como as endorfinas, verdadeiros analgésicos naturais. Por isso, ela funciona quando há dores por estresse.
Como é feita 
“Se é um problema de tensão muscular, trabalha-se a área dolorida até dissolver os nódulos resultantes de contraturas. As áreas-alvo mais afetadas pelo estresse crônico são os ombros e as costas (na parte cervical, próxima ao pescoço, e na lombar, na região final da coluna)”, explica a fisioterapeuta Marina Luiza Spinelli, do Ambulatório de Fisioterapia do HC. Também conhecida como massagem terapêutica, ela usa a aplicação de força ou vibração, de forma profunda, sobre tecidos macios do corpo (músculos, tendões, ligamentos e articulações). A massoterapia é feita com o auxílio de cremes ou óleos específicos.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Patologias do nervo Ciático – Síndrome do Piriforme

Dor do nervo Ciático – Síndrome do Piriforme 

                                                        
A dor do nervo ciático pode ter diversos motivos: hérnia de disco lombar, espasmo do músculo piriforme ou trauma direto sobre nervo, produzido, por exemplo, por uma injeção mal aplicada.
O nervo ciático fica localizado entre o trocanter maior e a tuberosidade isquiático. Ele é recoberto pelo músculo do glúteo quando o quadril está estendido, mas quando flexionado, o músculo desloca­-se e deixa o nervo descoberto.
O nervo ciático conecta­-se com a medula espinhal através dos forames sacras posteriores e também da quinta vértebra lombar (L5). À medida em que acompanhamos o nervo no sentido do quadril ao pé, esses ramos que saem da medula se unem e formam o nervo ciático que, quando chega na metade do fêmur, se divide em nervo tibial e nervo fibular comum que, por sua vez, vão se ramificando.
O nervo atravessa vários músculos, fascias e tendões em seu trajeto e acaba por se enervar com músculos como o adutor magno e o piriforme. Na região do quadril, o nervo ciático passa internamente pelo músculo piriforme e lateralmente pelos músculos obturador interno e os gêmeos inferior e superior. Quando o piriforme encontra­-se em espasmo muscular, ele comprime o nervo ciático produzindo dor, por isso o nome de Síndrome do Piriforme.
As dores dos nervos ou citalgias podem se assemelhar a choques, agulhadas ou formigamentos e ocorrem no local da lesão ou em uma região que esse nervo percorre. Na Síndrome do Piriforme, a dor pode chegar ao joelho (nervo fubular comum) ou à parte posterior da panturrilha (nervo tibial).
Muitos ciclistas, triatletas e corredores apresentam esse tipo de patologia porque o músculo piriforme pode encurtar e levar a uma compressão do nervo. A postura na bicicleta e o tipo de corrida, como em treinos de subida, são alguns dos fatores.
O tratamento pode ser feito com antiiflamatórios e sessões de fisioterapia para uma total reabilitação. Um tratamento só com anti­inflamatório ou só acupuntura (que tem como princípio aumentar as endorfinas fisiológicas do nosso corpo para que possamos tolerar um nível maior de dor), irá apenas aliviar as dores. Para resolver a causa é preciso um bom trabalho de alongamento muscular.

sábado, 24 de agosto de 2013

O QUE É MASSOTERAPIA?

Técnicas milenares que hoje já são muito utilizadas para tratamentos e prevenção de doenças. Mais do que isso, a massoterapia é uma ótima aliada na promoção da saúde!




Leia mais em: http://www.dicasdemassagem.com.br/o-que-e-massoterapia#ixzz2cuofuTKP



Imagine uma série de técnicas que juntas, podem aliviar a dor muscular, combater o estresse, promover a sensação de bem estar, estimular a circulação sanguínea, entre outros benefícios que veremos mais adiante.
Agora imagine que, estas técnicas milenares, hoje fazem o maior sucesso e cada vez mais são procuradas por pessoas que estão em busca da qualidade de vida e de pessoas que querem e já fazem da massoterapia mais que uma profissão, um estilo de vida saudável!
Para os que gostam de definições mais técnicas e se perguntam “O que é Massoterapia?”, podemos defini-la como um conjunto de técnicas de massagens orientais e ocidentais que tem como objetivo proporcionar o bem estar, saúde e qualidade de vida para o indivíduo através de manobras terapêuticas como deslizamento, amassamento, fricção, pinçamento e vibração.
A massoterapia realiza a manipulação manual dos tecidos moles do corpo, além de movimentos nas articulações.

QUAIS OS BENEFÍCIOS DA MASSOTERAPIA?

Quando pensamos na massoterapia ou massagem em geral, logo pensamos em relaxamento.
A massagem vai muito além de relaxamento. Ela pode ser usada como um complemento a tratamentos convencionais, pois atua na causa e não em sintomas de uma pessoa.
Podemos destacar os seguintes benefícios da massoterapia:
  • Promove a sensação de bem estar
  • Ajuda no controle dos sintomas de estresse
  • Alivia tensões e ajuda o combate da ansiedade
  • Alivio de dores musculares
  • Estímulo da circulação sanguínea
  • Elimina resíduos metabólicos do corpo
  • Fortalece o sistema imunológico

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

O efeito da massagem terapêutica nos sintomas climatéricos em mulheres pós-menopausadas com insônia




No período do climatério, cerca de 80% das mulheres são acometidas pelas consequências do hipoestrogenismo: alterações fisiológicas, psicológicas, ondas de calor, nictúria, alterações de humor.
Essas modificações contribuem para o aumento da prevalência de insônia nessa fase, que atinge cerca de 28% a 63% das mulheres pós-menopausadas.
A presença de tais sintomas associados a condições sócio-culturais, como a aposentadoria, a valorização da juventude, o envelhecimento, refletem diretamente na qualidade de vida dessa população.
Como a terapia hormonal tem sua indicação individualizada e não indicada em alguns casos, a procura por terapias coadjuvantes ou substitutivas é crescente, incluindo a massagem terapêutica, que pode aliviar os sintomas da insônia no período climatérico.
O presente estudo é apresentado em dois trabalhos.
O primeiro, um estudo piloto com sete voluntárias, que avaliou o efeito da massagem terapêutica em mulheres pós-menopausadas com insônia e apresentou melhora objetiva e subjetiva no sono.
Os resultados deste estudo nos levaram à elaboração do segundo trabalho, randomizado e controlado.
O trabalho 2 avaliou quarenta e quatro mulheres distribuídas em 3 grupos, controle, movimento passivo e massagem terapêutica.
Os resultados dos questionários mostraram melhora no sono, nos sintomas climatéricos e na qualidade de vida.

terça-feira, 9 de abril de 2013

MASSAGEM RELAXANTE



     
A massagem relaxante beneficia a flexibilidade e aumenta a circulação, e do ponto de vista psicológico criam uma sensação de bem-estar e alegria. A massagem relaxante antiestresse ajuda a acalmar o corpo e a mente. 
Acalmar o corpo é acalmar a mente, e uma das maneiras de se obter isso, é por meio da massagem relaxante, que proporciona o relaxamento e o alívio do stress e das dores. 
massagem relaxante promove a melhora na circulação sanguínea, aumenta o fluxo de nutrientes, remove catabólitos e metabólitos (substâncias tóxicas das células) prejudiciais ao organismo, além de aliviar a dor e facilitar a atividade muscular.
Como é feita a massagem relaxante?
Técnica aplicada na massagem relaxante por meio de movimentos suaves e firmes por todo o corpo, proporcionando relaxamento da musculatura e aliviando as tensões e stress. A massagem relaxante é aplicada com óleos ou cremes associados à aromaterapia, trazendo um efetivo bem estar e sensação de conforto e tranquilidade. 
Técnicas de Massagem Relaxante 
Massagem relaxante com Deslizamento 
Um movimento de alisamento é realizado com toda a superfície palmar de uma ou ambas as mãos na massagem relaxante. Quando realizado lentamente, o alisamento ajuda o paciente a relaxar. Este movimento também se mostra útil na união das sequências de outros movimentos.
Efeitos do Alisamento na massagem relaxante
Os efeitos terapêuticos dessa técnica de massagem relaxante são gerados principalmente mediante um impacto mecânico direto nos tecidos, e reflexamente por meio do sistema nervoso sensitivo.
Pode ser obtido um relaxamento significativo, produzindo um efeito sedativo, que pode aliviar a dor e o espasmo muscular. 
Massagem relaxante com Amassamento
 
Amassamento é uma técnica de massagem relaxante em que os músculos e tecidos subcutâneos são alternadamente comprimidos e liberados. Durante a fase de pressão de cada movimento, a mão e a pele se movem conjuntamente sobre as estruturas mais profundas. Durante a fase de liberação (relaxamento), a mão (ou mãos) desliza suavemente até uma área adjacente, e o movimento é repetido.
Efeitos do Amassamento na massagem relaxante
Pela compressão e relaxamento alternados dos músculos nessa massagem relaxante, as veias (tanto superficiais como profundas) se esvaziam e enchem alternadamente. Assim, fica aliviada a congestão nos leitos capilares, e melhora o fluxo de sangue proveniente das arteríolas para os capilares.
O fluxo da linfa fica estimulado pelo mesmo mecanismo.
A administração de um amassamento vigoroso provoca vasodilatação na pele. A pele é mobilizada pelas manipulações, e isso promove sua elasticidade. 
Massagem relaxante com Fricções
As fricções são técnicas de massagem relaxante que consistem de movimentos breves, precisamente localizados e profundamente penetrantes realizados numa direção circular. Esses movimentos profundos são habitualmente realizados pelas pontas dos dedos, embora a almofada do polegar ou palma também possam ser utilizadas. 
Efeitos da Fricção na massagem relaxante
A pressão profunda e contínua nos tecidos causa lesão local e libera uma substância similar à histamina e outros metabólitos que atuam diretamente nos capilares e arteríolas do local, causando vasodilatação. A magnitude da resposta depende da profundidade da manipulação e da duração da aplicação dessa técnica de massagem relaxante.


Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO - Cursos Online : Mais de 900 cursos online com certificado 
http://www.portaleducacao.com.br/estetica/artigos/8594/massagem-relaxante#ixzz2Q1A9QMxU

segunda-feira, 18 de março de 2013

                                 


Massagem e seus benefícios

A massagem relaxante é uma técnica que aplica movimentos: repetitivos, intensos, delicados e firmes sobre os tecidos do corpo que pode proporcionar o relaxamento físico e mental, melhorar a circulação, aliviar tensões musculares, trabalha a flexibilidade entre outros inúmeros benefícios.

Atualmente, é possível encontrar massagens com diversas aplicações: estéticas, terapêuticas e como forma de relaxamento. As técnicas de massagens ajudam a aumentar o nível da substância serotonina em nosso corpo proporcionando uma sensação de bem-estar e alegria, a massagem relaxante auxilia no processo para remover substâncias tóxicas das células que são prejudiciais ao nosso corpo, sendo uma técnica eficiente e rápida para combater o estresse.
Com uma rotina de trabalho estressante os músculos começam a tensionar, a respiração torna-se irregular, sensação de cansaço, cabeça e olhos doem. Uma sessão de massagem oriental ou ocidental, auxilia no reequilíbrio do corpo e da mente aliviando as tensões provocadas no dia-a-dia. Recomenda-se realizar a massagem relaxante em conjunto com hábitos de vida saudável como por exemplo a prática de esportes, técnicas de relaxamento, alimentação balanceada que auxilia na prevenção de problemas de saúde e no combate ao estresse...

agende uma avaliação; fone (47) 30432067 Estética Fernanda Nonato



http://www.mulheresdicas.com/saude-da-mulher/massagem-relaxante.html

MASSAGENS


                                                     

A massagem tem o poder de melhorar o estado emocional e o humor das pessoas, pois ajuda a aliviar o estresse e fazer com que as pessoas sintam-se mais relaxadas, melhorando o bem-estar geral.

A palavra massagem tem a sua origem do árabe “mass”: tocar, manusear, apalpar, mas também pode ser associada ao grego “massein”= amassar.Dentro os recursos utilizados, as massagens se destacam devido a grande variedade de técnica, além de sua ampla aplicabilidade tanto para promover o relaxamento como na prevenção e tratamento ligado a distúrbios musculares, vasculares e linfáticos. Outro campo que tem ganhado bastante adeptos é massagem com estética finalidades estéticas. 

As massagens em geral são muito agradáveis e trazem sensação de bem-estar. Dependendo da técnica, temos uma infinidade de benefícios. Por essa razão, geralmente faz-se um tratamento completo, com um número de sessões, completando um tratamento. A massagem relaxante pode ser realizada vez ou outra para combater o estresse, mas a redutora e a drenagem linfática devem seguir uma sequência seriada.A prática regular e contínua de qualquer forma de massagem pode fortalecer o corpo, ajuda a prevenir vários problemas que podem ocorrer devido ao excesso de tensão e uma fraqueza da nossa estrutura corporal. A massagem pode estimular ou acalmar o sistema nervoso ajuda a diminuir o cansaço.

Algumas formas de massagens se inspiraram na filosofia da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), com todas as teorias de Meridianos e pontos de Energia, utilizando-se de seus benefícios no corpo e em todos os sistemas, eliminando sintomas e curando doenças. Daí surgiu o Do-in, Shiatsu, Tui-Ná.Já as massagens com finalidades estéticas trazem um grande benefício circulatório. Ajudam a diminuir a estase circulatória e linfática, drenam líquidos estagnados, reduzem produtos do metabolismo final, relaxam a musculatura e diminuem a tensão.

Contudo, devemos levar em conta que há muitas modalidades de massagens e cada uma tem seu objetivo, indicação e maneira de ser realizada, mas, em geral, os efeitos fisiológicos são basicamente os mesmos, diferindo em um ponto ou outro. Entre os principais, destacamos:

  • Aumento da circulação sanguínea e linfática;
  • Remoção dos produtos catabólicos e metabólicos;
  • Melhora/Redução do edema;
  • Estimulação/Melhora das funções viscerais;
  • Promoção do relaxamento local e geral.


http://www.portaleducacao.com.br/estetica/artigos/9879/massagens

quarta-feira, 13 de março de 2013

Massagem para dor de cabeça


Se tiver interesse em agendar uma sessão de massagem para dor de cabeça,


Dores de cabeça podem ter várias origens, a maioria, porém, é muscular. Quer dizer que um músculo tenso, por exemplo, na região da nuca ou do pescoço, pode gerar dores de cabeça. Em geral, estes músculos são: trapézio, elevador da escápula, masseter, têmporas, esternocleidomastoideo e rombóide. Estas dores podem aparecer devido a fatores como: má postura durante muito tempo, falta de água no corpo, sinusite ou renite, má alimentação, má noite de sono, muito tempo no computador, levantamento de peso de forma errada, entre muitas outras coisas. Para saber a causa do problema, é indicado procurar um médico especialista. Boa parte da população costuma procurar um tratamento alternativo ou complementar para as dores de cabeça. Massagem é um destes tratamentos. A massagem tem um efeito relaxante na musculatura. Se as dores da cabeça têm a sua origem na musculatura tensa, pode ser que a massagem cure a dor totalmente ou alivie bastante. Cerca de 75% das dores de cabeca tem a origem na musculatura tensa.
É bom lembrar que existem perfis variados de pacientes. Há aqueles que reagem ao tratamento rapidamente e outros que demoram mais. Poderíamos dividi-los eles em quatro categorias: A, B, C e D. Vamos dizer que a dor de cabeça tenha origem num músculo tenso na região do pescoço. Neste caso, pessoas tipo A melhoram rapidamente, nos primeiros toques já sentem um alívio quase imediato e depois da massagem não sentem mais a cabeça doer. O tipo B melhora mais lento, o massagista tem que trabalhar mais para tirar a dor. Mas este cliente também sai bem melhor, com no mínimo 80% de melhora depois do tratamento. Cliente tipo C não melhora muito durante o tratamento, mas começa a apresentar alívio da dor algumas horas depois, o efeito é retardado. Mesmo assim, a dor não diminui tanto quanto nas pessoas A e B. A pessoa D, porém, não melhora quase nada, e vai ser necessário várias sessões para tirar a dor. E, mesmo assim, pode não ser possível tirar a dor por completo. Claro, num caso deste, talvez a origem da dor não seja muscular, e o melhor é encaminhar a um especialista.
Mas o interessante disto é que tem vários tipos de pessoas, isso é importante. Existem pessoas que aproveitam a massagem ou os tratamentos mais rápido que outros. Por isso, não dá para garantir um tempo de tratamento, Cada caso é um caso. Mesmo assim, vale à pena tentar algumas sessões de massagem, para ver se o paciente apresenta melhora. Inclusive, a massagem é extremamente segura. A massagem para dor de cabeça costuma ser de média pressão e, normalmente, é bem gostoso receber.
É muito raro que uma dor de cabeça seja sintoma de uma doença muito grave. Claro, é sempre bom procurar um médico especialista para descobrir o que gera a dor, especialmente se a dor de cabeça aparece com frequência. Uma dor de cabeça grave pode ter como causa um tumor e só um médico pode diagnosticar isso. Mas, mesmo que não seja nada perigoso, uma dor de cabeça frequente afeta a vida cotidiana de forma muito negativa. Mas é sempre melhor fazer os exames certos para eliminar qualquer dúvida.
As formas mais comuns de dores de cabeça causadas por tensão muscular são:
  • Dor acima das orelhas, perto das têmporas, como se tivesse um capacete apertando. Origem: Pode ser o músculo trapézio, o músculo que fica lateral e dorsal no pescoço. Ele pode conter um tipo de ponto de gatilho ativo que irradia dores para a cabeça. Pode ser tratado com massagem com bons resultados. Aparece por causa de muito tempo na frente do computador, por exemplo, ou por má postura ou por carregar peso nas costas durante muito tempo.
  • Dor na testa e em volta dos olhos. Origem: Pode ser o músculo suboccipital e/ou o músculo esternocleidomastoideo. Pode ser um ponto de gatilho na musculatura ativa ou tensão que diminui ou prende a circulação de sangue no pescoço. Não é perigoso, mas incomoda bastante. Pode ser tratado com massagem com bons resultados. Esta dor de cabeça costuma dar enjôo e incomodar a visão. É parecida com a enxaqueca.
  • Dor nas têmporas acima das orelhas. Origem: Pode ser o músculo masseter ou as têmporas devido ao bruxismo ou estresse. Massagem é um ótimo tratamento.
A massagem é ótima para aliviar a musculatura. Se a dor de cabeça é de origem muscular, a massagem pode surpreender. Se não for muscular, tem que fazer outro tratamento. Mesmo assim, a maioria das dores de cabeça vem da tensão muscular. Pode ver que a maioria delas aparece depois de um dia estressante ou de sobrecarga no trabalho ou ainda depois de trabalhar sentado com o computador.

Estresse dói


 As tensões diárias fazem você enrijecer a musculatura até o seu corpo pedir socorro. Aí começam as dores e, para relaxar e aliviar o incômodo, nada melhor do que uma boa massagem. Escolha a sua!


Chateações em casa ou no trabalho, sapos engolidos, ansiedade, violência, 
medo de perder o emprego, pavor de engordar, receio de não dar conta da agenda apertada... Para a maioria de nós, as emoções geradas por essas e outras preocupações fazem parte do estresse diário e têm um destino certo: a musculatura. Sem perceber, começamos a segurar o telefone com força, a apertar a mandíbula, a manter os ombros curvados e a contrair os músculos das costas. O resultado é uma dor crônica pelo corpo, fruto de anos de tensão muscular. “A rigidez causa dor, porque na área contraída a circulação do sangue fica mais difícil e a oxigenação dos tecidos é prejudicada, impedindo a eliminação de toxinas. O incômodo é pior se a tensão no local chega a comprimir os nervos”, explica Maria Thereza Bortolo, especialista em eutonia, uma técnica que melhora a consciência corporal.
Não dê as costas para a dor 
Como eliminar todas as fontes de estresse é impossível, o melhor caminho para ficar livre das dores é aprender a lidar com as pressões. “Se em vez de sufocar sentimentos como a raiva, o medo e a humilhação, passamos a aceitá-los e a expressá-los com maturidade na hora em que eles aparecem, agimos no sentido de evitar novas tensões e dores musculares e até mesmo de aliviar as antigas, que estão ‘congeladas’ e podem incomodar por anos a fio”, garante o médico e psicoterapeuta Ricardo Rego, professor e diretor do Instituto Brasileiro de Psicologia Biodinâmica, de São Paulo.
Ou seja, se você não resolve o problema na hora (foge, arruma uma válvula de escape), ele se acumula em forma de tensão no corpo. E vai fazendo mal, causando vários sintomas psicossomáticos, como a dor. “Pessoas deprimidas e ansiosas são as que mais sofrem de dores nas costas, por exemplo. Para melhorar, elas deveriam passar a acreditar mais no próprio potencial e readquirir a auto-estima”, ensina o reumatologista José Goldenberg, vice-presidente do Hospital Albert Einstein e autor do livro Coluna Ponto e Vírgula (Ed. Atheneu).
Enquanto insistimos em manter a mesma postura diante da vida, outra saída bem menos complicada é buscar o bem-estar por meio de massagens e outras técnicas de manipulação de partes do corpo. Elas, literalmente, ‘tiram com as mãos’ as dores causadas por estresse e, de quebra, induzem à produção de substâncias que podem atuar no equilíbrio emocional.
O ALÍVIO ESTÁ NAS MÃOS DE ESPECIALISTAS 
SE SUAS DORES SÃO MESMO FRUTO DO ESTRESSE — E NÃO DE UMA HÉRNIA DE DISCO OU ATÉ DE UM TUMOR NAS COSTAS, POR EXEMPLO — O VAIVÉM DAS MÃOS DE UM ESPECIALISTA QUALIFICADO, CAPAZ DE DIFERENCIAR A CAUSA DA DOR, COSTUMA SER UM EXCELENTE REMÉDIO. CONFIRA, A SEGUIR, AS MASSAGENS E TÉCNICAS MAIS INDICADAS PARA ESSES CASOS. O IDEAL É FAZER AO MENOS DEZ SESSÕES — TEMPO MÍNIMO QUE UM ORGANISMO ESTRESSADO LEVA PARA COMEÇAR A RESPONDER AO TRATAMENTO.
MASSOTERAPIA, A MASSAGEM OCIDENTAL
O que é 

O ocidente também aceita o poder da massagem, tanto que é um dos recursos utilizados por fisioterapeutas para curar e reabilitar vítimas de traumas físicos (como estiramentos musculares), para controlar a dor, melhorar a circulação sangüínea e aumentar a flexibilidade das articulações. A explicação para os benefícios do vaivém das mãos, nesse caso, remete a reações fisiológicas já comprovadas. O toque dos dedos e das mãos na pele estimulam o fluxo do sangue (permitindo mais oxigênio para os tecidos e células) e a circulação linfática (responsável pela liberação de toxinas pelo organismo). Além disso, milhões de receptores nervosos sob a pele enviam sinais para o cérebro que, por sua vez, responde com a liberação de substâncias que dão a sensação de bem-estar e aliviam as dores — como as endorfinas, verdadeiros analgésicos naturais. Por isso, ela funciona quando há dores por estresse.
Como é feita 
“Se é um problema de tensão muscular, trabalha-se a área dolorida até dissolver os nódulos resultantes de contraturas. As áreas-alvo mais afetadas pelo estresse crônico são os ombros e as costas (na parte cervical, próxima ao pescoço, e na lombar, na região final da coluna)”, explica a fisioterapeuta Marina Luiza Spinelli, do Ambulatório de Fisioterapia do HC. Também conhecida como massagem terapêutica, ela usa a aplicação de força ou vibração, de forma profunda, sobre tecidos macios do corpo (músculos, tendões, ligamentos e articulações). A massoterapia é feita com o auxílio de cremes ou óleos específicos.
Tempo de duração da sessão: 60 minutos

http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/55/artigo65673-1.asp