"Qualquer amor é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura."
- João Guimarães Rosa

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A massagem relaxante e seus benefícios

A Massagem Relaxante é uma técnica que promove a melhora da circulação sanguínea, aumentando o fluxo de nutrientes, ajuda a remover as substâncias tóxicas das células que são prejudiciais ao organismo, além de aliviar a dor muscular. Recomenda-se a realização da técnica como um hábito de vida saudável, pois seu objetivo é a prevenção de stress que muitas vezes, pode agravar a saúde dos pacientes, por esse motivo aconselha-se sempre a realização da massagem de 1 a 2 x por semana para que o corpo não acumule tensões prejudiciais a saúde emocional e física.

Benefícios da técnica:
- Estimula a Circulação Sanguínea
- Alivia as tensões físicas e emocionais
- Combate a Ansiedade, Dor de Cabeça, Insônia, Irritabilidade e falta de concentração
- Elimina as toxinas do organismo

Contra Indicações:
- Pacientes com Patologias infecto-contagiosas
- Patologias de pele
- Inflamações
- Gestantes antes do 3º mês de gestação.
- Pacientes com trombose
- Diabéticos

OBS: Nesses casos citados acima é importante sempre pedir autorização médica.

Essa técnica é realizada através de movimentos suaves, lentos e firmes no corpo inteiro, relaxando a musculatura e proporcionando alívio das tensões e stress. Usamos movimentos de deslizamento, aonde seu efeito é gerado mediante ao impacto na pele e atuando diretamente no sistema nervoso sensitivo. Outra técnica muito usada é o que chamamos de amassamento, cujo objetivo é descomprimir os músculos e os tecidos subcutâneos, com isso as veias profundas e superficiais esvaziam e enchem rapidamente, melhorando o fluxo sanguíneo e o sistema linfático. E por último podemos citar a fricção, que é um movimento mais localizado e circular. Esse movimento mais profundo na pele, causa a vasodilatação local promovendo o relaxamento e sensação de bem estar.


Fonte: http://barretosmassoterapia.blogspot.com/2011/08/massagem-relaxante-e-seus-beneficios.html

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Indicações da Massoterapia

Todas as técnicas e métodos utilizados pela Massoterapia se destinam àqueles que necessitam do toque direto no corpo e/ou da massagem, para manter o estado de equilíbrio.
O toque utilizado pela Massoterapia pode ser mais profundo ou mais sutil, de acordo com o objetivo da especialidade, tal como atuar na estrutura mecânica do corpo, estimular ou sedar algum estado energético e/ou fisiológico, conduzir a autoconsciência ou trabalhar campos energéticos.
- Indicação higiênica: manter e promover a saúde, prevenir desequilíbrios, contribuir na promoção do bem estar e da melhor qualidade de vida.
- Indicação complementar: em ação conjunta e complementar com as técnicas terapêuticas da medicina oficial, propiciar uma prática de cooperação em níveis e estágios diferenciados, visando maior eficácia nos tratamentos de saúde.
A massagem é invariavelmente administrada como um adjunto de outras abordagens, médicas ou complementares, e em alguns casos apenas é executada com a aprovação de um médico.
Nesse estágio, é importante considerar a aplicação da massagem para diferentes tipos de condição:
- Nos distúrbios constitucionais mais generalizados, o papel da massagem é estimular a eliminação de toxinas e resíduos – substâncias oriundas de infecções, inflamações, espasmos musculares e alterações similares. A massagem atinge seus objetivos pela influência sobre a circulação, em particular a do retorno venoso e linfático. Benefícios adicionais ocorrem com o relaxamento dos músculos e, igualmente significativo, com o relaxamento do cliente. Um efeito indireto, mas relevante é a estimulação do sistema nervoso autônomo, que, por sua vez, melhora a produção de secreções glandulares e o funcionamento orgânico;
- Todos os movimentos de massagem têm um efeito de normalização sobre as zonas reflexas, quer sejam áreas de dor referida direta,, relacionada a uma disfunção orgânica, quer seja uma mudança tecidual indireta. Além disso, algumas técnicas de massagem (como a técnica neuromuscular) podem ser aplicadas a zonas específicas, relacionadas com determinado distúrbio ou órgão;
- Nas condições mais específicas, como alterações patológicas, a massagem é aplicada para ajudar a aliviar alguns dos sintomas associados ao problema.

Diversos problemas encontram solução através da massoterapia, tais como:
- Calcificações articulares;
- Contrações
- Espasmos
- Atonias e contorções musculares;
- Luxações;
- Edemas;
- Debilidade sexual ou nervosa;
- Distúrbios cardíacos, circulatórios, digestivos e intestinais;
- Fadiga;
- Obesidade;
- Paralisia;
- Reumatismo, gota, nevralgia e artrite;
- Febres até 38º (ocasionadas por dengue ou resfriados);
- Prisão de ventre;
- Pré e pós cirúrgicos em estética;
- Cicatrizes;
- Gravidez normal;
- Bebês;
- Crianças;
- Idosos;
- Lesões em geral.

As ações primárias da massoterapia são:
- Maximizar a circulação da energia vital pelo corpo;
- Estimular a circulação de uma forma geral;
- Favorecer o autoconhecimento e autoconsciência;
- Auxiliar no combate de dores;
- Contribuir para a organização do tônus muscular;
- Contribuir para a normalização das funções fisiológicas;
- Auxiliar na administração das tensões e do estresse.

Fonte: http://www.preventivafisioterapia.com.br/preventiva/index/biblioteca/cod/9

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Trigger Points – Os gatilhos da dor

Nosso organismo é formado por mais ou menos 60% de massa muscular. Junto com os ligamentos são responsáveis por manter estruturas ósseas em funcionamento harmônico. Eles são responsáveis por praticamente todos os movimentos do corpo.
Portanto, por serem exigidos o tempo todo, encontram-se sujeitos a desgastes, fadigas e lesões.
Executam movimentos voluntários e involuntários. Alguns músculos do corpo, encontram-se em constante contração (mínima contração, na realidade) para que possam responder de imediato quando solicitados, como é o caso de alguns músculos da mastigação.
Quando nos movemos também estamos realizando uma contração voluntária. Quando o músculo contra-se involuntariamente  é porque  ele entrou em estado de espasmo.
Uma outra condição de contração involuntária são os pontos de gatilho, conhecidos na língua inglesa como : “trigger points” , que são nódulos contraidos,em bandas musculares tensas,  de 2 a 5mm de diâmetro, que podem ser encontrados nos músculos e fáscias. Eles comumente aparecem em indivíduos que possuem dor miofascial.
Os pontos de gatilho podem estar latentes ou ativos. Quando estão latentes, não provocam dor espontânea, apenas quando manipulados. Quando ativos, provocam um padrão de dor referida quando fazemos uma digitopressão, ou seja, quando pressionamos o ponto gatilho com o dedo, o indivíduo sente dor em outro local (dor referida). Já foram mapeadas as zonas de dor referida dos pontos de gatilho.
Quando presente na musculatura cervical, promovem quadros de dor semelhantes às dores de cabeça ou até mesmo simular dor na articulação temporomandibular.
É importante estar atento a este padrão de dor para não confundir com dor neuropática. Se estiver em uma área onde esteja comprimindo um plexo nervoso, como o plexo braquial, pode provocar dor nas costas, ombros, braços e mãos.
“O padrão de dor referida é que o distingue de outras dores musculares.”
Existe uma condição dolorosa que assemelha-se a ele que são os pontos sensíveis.
Qual a diferença?
A diferença é que os pontos sensíveis não provocam dor referida. Pelo contrário. Quando executa-se a digitopressão em um ponto sensível, o indivíduo responde com um sinal típico de pulo e afastamento da pressão conhecido na língua inglesa como  “jump sign”.
Fisiopatologia (o que causa o) trigger point
A principal etiologia são microtraumas repetitivos. Duas teorias foram propostas para determinar a etiologia do T.P. Uma fala sobre o aumento do cálcio que promoveria  e perpetuaria contrações voluntárias. A outra fala sobre a ação das catecolaminas.
O grande problema do ponto de gatilho  é que, além de restringir o movimento ele promove uma diminuição da circulação sanguínea local, consequentemente menos aporte de oxigênio chega ao local, mais ácido láctico é produzido, consequentemente ocorre uma retro alimentação da contração e inflamação local e consequentemente restrição de movimento.
Como tratar?
Uma pergunta frequente que me fazem é: já que ocorre uma contração muscular intensa, então porque os medicamentos relaxantes musculares não resolvem o problema?
Uma boa resposta é que a medicação deveria  ser forte o suficiente para parar todas as contrações involuntárias dos músculos. Consequentemente o coração não suportaria. Então executa-se pressão digital no trigger point (em média 4kg) para descomprimir a musculatura e interromper o ciclo de dor.
Outras formas de tratá-lo incluem: ultrassom, eletro estimulação, spray e infiltração anestésica.

Fonte: http://www.tratamentodaatm.com.br/trigger-points-pontos-de-gatilho-dor/

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Ano mundial Contra Dor Musculoesquelética

Introdução 
Síndrome Dolorosa Miofascial (SDM) é uma condição musculoesquelética caracterizada por dor local e referida percebida como profunda  e dolorida, e pela presença de pontos-gatilho em qualquer região do organismo.


Eidemiologia 
• Poucos estudos epidemiológicos tem investigado a prevalência ou incidência de pontos de gatilho na SDM. Um estudo encontrou pontos-gatilho em 30 % dos pacientes que consultaram o atendimento primário por causa da dor e um segundo estudo relatou pontos de gatilho em 85 % dos pacientes que visitaram o atendimento terciário por queixas dolorosas.
• Pesquisas tem demonstrado que os pontos-gatilho estão associados a outras condições dolorosas, incluindo enxaqueca, cefaléia tensional, disfunções da articulação têmporo-mandibular, cervicalgias, dores em ombros, epicondilite, sindrome do tunel do carpo, lombalgias, dores pélvicas e lesões pós traumáticas.


Fisiopatologia 
A fisiopatologia dos pontos-gatilho não é completamente esclarecida, e um número de alterações morfológicas, de neurotransmissores, neurossensoriais, eletrofisiológicas e motoras tem sido implicadas em sua patogênese:
• Alterações morfológicas: Um significante aumento da rigidez tem sido encontrado nas bandas musculares e nos pontos-gatilho;
• Neurotransmissores: Elevado nivel de neuropeptidios (exemplo: substância P ou peptidio relacionado ao gene de calcitonina), catecolaminas (Norepinefrina) e citocinas pró-inflamatórias  (TNF alfa, Interleucina
1 beta, interleucina 6, interleucina 8) tem sido encontrados nos pontos-gatilho;
• Características neurosensoriais: dor referida que se espalha, hipersensibilidade para estímulo nociceptivo (hiperalgesia) e ao estímulo não nociceptivo (alodinia), sensibilidade à dor mecânica, hiperatividade simpática, facilitação para dor local e referida e atenuação da resposta vascular;
• Eletrofisiologia: muitos estudos tem encontrado atividade elétrica espontânea, atribuída ao aumento dos potenciais de placa terminal em miniatura e maior liberação de acetilcolina nos pontos-gatilho, apesar de necessitarmos de mais estudos futuros para esta confirmação;
• Prejuízo Motor: pontos-gatilho miofasciais pode induzir mudanças nos padrões de ativação muscular normal e resultar em disfunção motora.

Características clinicas 
• A estimulação de pontos-gatilho ocasionam dores referidas;
• A duração das dores referidas é variável (segundos, horas, dias);
• A dor referida é percebida como profunda, dolorida, queimação e às vezes pode ser percebida como dor
superficial;
• A dor referida pode se espalhar caudalmente ou cranialmente;
• A intensidade e a área de expansão da dor referida estão positivamente correlacionada com o grau de atividade do ponto-gatilho;

Critérios Diagnósticos 
Os critérios diagnósticos para pontos-gatilho estão em Debate, porém existem 3 critérios diagnósticos mínimos (1-3) e 6 de confirmação(4-9):
1) Presença de banda tensa palpável em musculo esquelético;
2) Presença de área de hipersensibilidade dentro da uma banda tensa muscular;
3) Reprodução da sensação de dor referida com estimulação do nódulo doloroso;
4) Evocação de reação contrátil visualmente ou á palpação da banda tensa;
5) Presença de “sinal do pulo” ou seja, reação de retirada a palpação dos nódulos;
6) Paciente reconhece a dor que sente ao exame  de palpação muscular;
7) Previsão de padrões de dor referida;
8) Fraqueza muscular e músculo em aperto;
9) Dor com alongamento ou contração do musculo afetado.

Diagnóstico e Tratamento 
A terapêutica dos pontos-gatilho e da SDM é multimodal. As intervenções mais comumente utilizados são os
seguintes:
• Massagem, compressão isquêmica, liberação ou deslizamento miofascial, e outras intervenções dos tecidos moles (como energia muscular) mostraram de moderada a forte evidência para alívio imediato da dor;
• Agulhamento de pontos-gatilho tem mostrado benefícios clínicos, mas são necessários mais estudos;
• A terapia com laser apresenta fortes evidências de eficácia para o alívio da dor;
• A estimulação elétrica transcutânea (TENS) e terapia magnética mostraram evidência moderada imediata sobre os pontos-gatilho miofasciais;
• O exercício tem mostrado benefício moderado e pode incluir alongamentos e amplitude de movimento, fortalecimento, resistência, ou exercícios de coordenação;
• Ultra-som terapêutico tem fraca evidência de eficácia nos pontos-gatilho.

Tradução: Dra. Fabiola Peixoto Minso


Referências: 
1. Fernández de las Peñas C, Cuadrado ML, Arendt-Nielsen L, Simons DG, Pareja JA. Myofascial trigger points and
sensitisation: an updated pain model for tension type headache. Cephalalgia 2007;27:383–93.
2. Simons D, Travell J, Simons P. Travell & Simons’ myofascial pain & dysfunction: the trigger point manual. Baltimore:
Williams & Wilkins; 1999.
3. Tough EA, White AR, Cummings TM, Richards SH, Campbell JL. Acupuncture and dry needling in the management of
myofascial trigger point pain: a systematic review and meta-analysis of randomised controlled trials. Eur J Pain 2009;13:3–10.
4. Vernon H, Schneider M. Chiropractic management of myofascial trigger points and myofascial pain syndrome: a systematic
review of the literature. J Manipulative Physiol Ther 2009;32:14–24.

Fonte: http://www.iasp-pain.org/AM/AMTemplate.cfm?Section=HOME&SECTION=HOME&TEMPLATE=/CM/ContentDisplay.cfm&CONTENTID=10586