"Qualquer amor é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura."
- João Guimarães Rosa

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Patologias do nervo Ciático – Síndrome do Piriforme

Dor do nervo Ciático – Síndrome do Piriforme 

                                                        
A dor do nervo ciático pode ter diversos motivos: hérnia de disco lombar, espasmo do músculo piriforme ou trauma direto sobre nervo, produzido, por exemplo, por uma injeção mal aplicada.
O nervo ciático fica localizado entre o trocanter maior e a tuberosidade isquiático. Ele é recoberto pelo músculo do glúteo quando o quadril está estendido, mas quando flexionado, o músculo desloca­-se e deixa o nervo descoberto.
O nervo ciático conecta­-se com a medula espinhal através dos forames sacras posteriores e também da quinta vértebra lombar (L5). À medida em que acompanhamos o nervo no sentido do quadril ao pé, esses ramos que saem da medula se unem e formam o nervo ciático que, quando chega na metade do fêmur, se divide em nervo tibial e nervo fibular comum que, por sua vez, vão se ramificando.
O nervo atravessa vários músculos, fascias e tendões em seu trajeto e acaba por se enervar com músculos como o adutor magno e o piriforme. Na região do quadril, o nervo ciático passa internamente pelo músculo piriforme e lateralmente pelos músculos obturador interno e os gêmeos inferior e superior. Quando o piriforme encontra­-se em espasmo muscular, ele comprime o nervo ciático produzindo dor, por isso o nome de Síndrome do Piriforme.
As dores dos nervos ou citalgias podem se assemelhar a choques, agulhadas ou formigamentos e ocorrem no local da lesão ou em uma região que esse nervo percorre. Na Síndrome do Piriforme, a dor pode chegar ao joelho (nervo fubular comum) ou à parte posterior da panturrilha (nervo tibial).
Muitos ciclistas, triatletas e corredores apresentam esse tipo de patologia porque o músculo piriforme pode encurtar e levar a uma compressão do nervo. A postura na bicicleta e o tipo de corrida, como em treinos de subida, são alguns dos fatores.
O tratamento pode ser feito com antiiflamatórios e sessões de fisioterapia para uma total reabilitação. Um tratamento só com anti­inflamatório ou só acupuntura (que tem como princípio aumentar as endorfinas fisiológicas do nosso corpo para que possamos tolerar um nível maior de dor), irá apenas aliviar as dores. Para resolver a causa é preciso um bom trabalho de alongamento muscular.

sábado, 24 de agosto de 2013

O QUE É MASSOTERAPIA?

Técnicas milenares que hoje já são muito utilizadas para tratamentos e prevenção de doenças. Mais do que isso, a massoterapia é uma ótima aliada na promoção da saúde!




Leia mais em: http://www.dicasdemassagem.com.br/o-que-e-massoterapia#ixzz2cuofuTKP



Imagine uma série de técnicas que juntas, podem aliviar a dor muscular, combater o estresse, promover a sensação de bem estar, estimular a circulação sanguínea, entre outros benefícios que veremos mais adiante.
Agora imagine que, estas técnicas milenares, hoje fazem o maior sucesso e cada vez mais são procuradas por pessoas que estão em busca da qualidade de vida e de pessoas que querem e já fazem da massoterapia mais que uma profissão, um estilo de vida saudável!
Para os que gostam de definições mais técnicas e se perguntam “O que é Massoterapia?”, podemos defini-la como um conjunto de técnicas de massagens orientais e ocidentais que tem como objetivo proporcionar o bem estar, saúde e qualidade de vida para o indivíduo através de manobras terapêuticas como deslizamento, amassamento, fricção, pinçamento e vibração.
A massoterapia realiza a manipulação manual dos tecidos moles do corpo, além de movimentos nas articulações.

QUAIS OS BENEFÍCIOS DA MASSOTERAPIA?

Quando pensamos na massoterapia ou massagem em geral, logo pensamos em relaxamento.
A massagem vai muito além de relaxamento. Ela pode ser usada como um complemento a tratamentos convencionais, pois atua na causa e não em sintomas de uma pessoa.
Podemos destacar os seguintes benefícios da massoterapia:
  • Promove a sensação de bem estar
  • Ajuda no controle dos sintomas de estresse
  • Alivia tensões e ajuda o combate da ansiedade
  • Alivio de dores musculares
  • Estímulo da circulação sanguínea
  • Elimina resíduos metabólicos do corpo
  • Fortalece o sistema imunológico

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

O efeito da massagem terapêutica nos sintomas climatéricos em mulheres pós-menopausadas com insônia




No período do climatério, cerca de 80% das mulheres são acometidas pelas consequências do hipoestrogenismo: alterações fisiológicas, psicológicas, ondas de calor, nictúria, alterações de humor.
Essas modificações contribuem para o aumento da prevalência de insônia nessa fase, que atinge cerca de 28% a 63% das mulheres pós-menopausadas.
A presença de tais sintomas associados a condições sócio-culturais, como a aposentadoria, a valorização da juventude, o envelhecimento, refletem diretamente na qualidade de vida dessa população.
Como a terapia hormonal tem sua indicação individualizada e não indicada em alguns casos, a procura por terapias coadjuvantes ou substitutivas é crescente, incluindo a massagem terapêutica, que pode aliviar os sintomas da insônia no período climatérico.
O presente estudo é apresentado em dois trabalhos.
O primeiro, um estudo piloto com sete voluntárias, que avaliou o efeito da massagem terapêutica em mulheres pós-menopausadas com insônia e apresentou melhora objetiva e subjetiva no sono.
Os resultados deste estudo nos levaram à elaboração do segundo trabalho, randomizado e controlado.
O trabalho 2 avaliou quarenta e quatro mulheres distribuídas em 3 grupos, controle, movimento passivo e massagem terapêutica.
Os resultados dos questionários mostraram melhora no sono, nos sintomas climatéricos e na qualidade de vida.