"Qualquer amor é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura."
- João Guimarães Rosa

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Massagem: Relaxamento para aliviar o estresse e dor



É realizada aplicando movimentos firmes e suaves sobre os tecidos do corpo proporcionando relaxamento muscular, melhoria da circulação sanguínea, alívio de tensões na região da coluna cervical e ombros. Existem muitas técnicas de massagem para praticamente todos os fins, como por exemplo, relaxamento, redutora, pós cirúrgica entre outras.

Após um dia estressante a musculatura fica tensa, respiração irregular, sensação de cansaço, cabeça e olhos doem. O ideal é sempre associar a massagem relaxante em conjunto com hábitos de vida saudável como a prática de atividade física ou técnica de relaxamento que auxilia na prevenção de problemas de saúde e no combate ao estresse.

Pode ser aplicada tanto em homens como mulheres nas mais diversas faixas etárias. Atualmente uma clínica estética oferece os mais variados tratamentos podemos citar como exemplo tratamentos para: reduzir medidas, gordura localizada, estrias, celulite, flacidez, diminuir sinais de envelhecimento, dentre outros.
Para a OMS, é fundamental alertar as populações sobre os benefícios dos exercícios físicos regulares.
O ideal para quem não faz atividades físicas é começar de forma gradual e freqüente, procure uma atividade que mais te agrada e aproveite todos os benefícios que ela proporciona.

Como é a massagem terapêutica?
Durante a massagem, é realizado a manipulação dos tecidos moles do corpo - os músculos, pele e tendões - usando dedos, mãos e punhos. Existem várias versões de massagem e são executadas em uma variedade de configurações.

Uma massagem pode fazer você se sentir relaxado, porém, se for realizada incorretamente, pode prejudicá-lo. A massagem pode aliviar a tensão nos músculos, e a maioria das pessoas o usam para o relaxamento, alívio de estresse e ansiedade, ou a reduzir a dor muscular.

A massagem ajuda na liberação dos analgésicos naturais, e pode contribuir para a melhora do sistema imunológico.

Quais são os benefícios:

• Eleva o nível da serotonina, fazendo com que o indivíduo sinta uma sensação de bem-estar;
• Eleva o fluxo de nutrientes, remove substâncias tóxicas das células que prejudicam o nosso corpo;
• Combate o estresse;
• Reduz a dor muscular depois do exercício físico;
• Melhora da flexibilidade e elasticidade da musculatura;
• Benefícios físicos e psicológicos;
• Melhora da auto-estima;
• Melhora da circulação sanguínea;
• Alivio imediato das dores musculares;
• Redução da ansiedade, irritabilidade;
• Reequilibra a mente e o corpo aliviando as tensões provocadas pelo dia-a-dia.

Com todos esse objetivos não perca a oportunidade de fazer uma boa massagem e sentir todos os benefícios que a prática proporciona.

Fonte: http://www.equilibriototal.com.br/massagem-alivia-o-estresse-e-dor.html

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Diferenças entre os principais tipos de massagem

LIBERAÇÃO MIOFASCIAL
Massagem profunda que atinge as fáscias (tecido que envolve os músculos e os conecta aos tendões). Útil para dores posturais, mas, dependendo do nível de tensão muscular, pode doer. Exige uma série de sessões para dar resultado.
Ajuda a relaxar. As indicações incluem problemas de coluna, desvios ortopédicos, lesões por esforços repetitivos e doenças osteomusculares. Uma das técnicas que trabalha a liberação miofascial é o Rolfing.

DRENAGEM LINFÁTICA
Estimula o sistema linfático, que absorve e transporta líquidos, proteínas e gorduras no organismo. Ajuda a eliminar líquidos e diminui o inchaço causado por insuficiência venosa, problemas de tireoide ou ciclo menstrual, segundo a fisioterapeuta Pascale Tacani.
As manobras, suaves, têm efeito analgésico e relaxante. Contraindicada em casos de trombose e pressão alta.

QUIROPRAXIA
Diferencia-se de outras massagens porque não trabalha os músculos, mas as articulações. São movimentos rápidos e precisos para tirar pressões nas articulações e realinhá-las. Segundo Ana Paula Facchinato, coordenadora do curso de quiropraxia da Universidade Anhembi Morumbi, o tratamento é indicado para dores lombares, no pescoço e hérnias de disco. "Se não for feita da forma certa, a terapia faz mais mal do que bem.

MASSAGEM ESPORTIVA
Adapta a velocidade e a força das manobras clássicas para momentos diferentes da atividade física. Antes do exercício é rápida e superficial, para "despertar" o músculo. No intervalo é mais lenta para soltar a musculatura e ajudar a eliminação de toxinas como o ácido lático. Quando o exercício termina é mais profunda. Serve para atletas em treinamento intenso ou em competição, e não para quem faz exercícios moderadamente.


Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/991967-conheca-as-diferencas-entre-os-principais-tipos-de-massagem.shtml

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

A drenagem linfática manual

É um método de massagem que estimula as funções do sistema linfático, restabelecendo o equilíbrio dos líquidos, evitando ou tratando edemas (inchaço/retenção), por meio de manobras precisas, leves, suaves, lentas e rítmicas executadas com pressões muito suaves, nunca podendo provocar dor e hematoma em nenhuma situação.

A massagem é indicada para pessoas com retenção de líquidos e edemas devido ao seu efeito drenante e desintoxicante. Melhora o aspecto das irregularidades teciduais produzidas pela celulite, por renovar os líquidos entre as células (removendo toxinas e líquido excedente).

Em pós-operatórios de cirurgia plástica, a drenagem auxilia na cicatrização e na absorção de edemas e hematomas, diminuindo assim a dor e a probabilidade de formação de fibroses.

Essa técnica é o tratamento estético mais adequado para a gestante, a partir do terceiro mês de gestação. Pode prevenir e trata as complicações decorrentes da gravidez, auxiliando na retenção de líquidos, inchaços, nos problemas circulatórios e musculares, bem como de outros problemas relacionados às mudanças hormonais, tais como enxaqueca, insônia, constipação intestinal e cansaço, além de proporcionar relaxamento à gestante.

A drenagem, quando bem executada, produz quase sempre uma ação tranqüilizante e de bem-estar. O seu efeito drenante é imediatamente visível logo após a sessão de tratamento, continuando sua ação nas horas subseqüentes.

Associado às mudanças de hábitos alimentares a drenagem pode ser preciosa no tratamento e prevenção de retenção de líquidos e celulite, garantindo melhores efeitos do tratamento. Uma alimentação rica em alimentos antioxidantes, fibras que ajudam a varrer as toxinas e manter intestino funcionando adequadamente, muita hidratação e até  uso de fitoterápicos que ajudem a drenar os líquidos para fora do teu corpo, são boas investidas que podem ser orientadas  por seu Nutricionista.

E claro, atividade física regular, sempre!



Matéria escrita pela minha fisioterapeuta, especialista em Dermato-Funcional (estética), Camila Milani Machado Ferreira, que atende no Jd. Aeroporto.

Tels: 5594-1570/9666-1716.

E-mail:fisioterapia.dermato@yahoo.com.br.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Drenagem Linfática

A drenagem linfática é uma técnica de massagem que auxilia no processo de eliminação de impurezas acumuladas entre as células dos tecidos pela corrente sanguínea.

É pelo sistema linfático que percorre o líquido (linfa) incolor e transparente que filtra essas impurezas. Quando há algum problema na circulação linfática, essas impurezas podem ficar "paradas" em determinados pontos do corpo o que pode ocasionar inchaços, espinhas, edemas etc. Nesse caso, após uma avaliação, o especialista pode recomendar a drenagem linfática.

A linfa é o líquido responsável pelo "transporte" do excesso de líquidos e toxinas . Esse sistema, é constituído de vasos linfáticos que recolhem e depois filtram líquidos e dejetos que retornam para a circulação sangüínea.
A massagem linfática foi criada pelo doutor Emil Vodder na década de 30, como um tratamento a seus pacientes que apresentavam os mais variados sintomas como: gripe, sinusite, renite etc. Esses paciente apresentaram os gânglios do pescoço inchados e duros, executando movimentos da drenagem linfática manual nos gânglios, doutor Emil Vodder identificou melhora significativa nos sintomas citados anteriormente.
Edema é o acúmulo de líquido em um espaço existente entre as células de um tecido conhecido como espaço intersticial. Geralmente, o edema diminui a circulação sanguínea prejudicando a nutrição dos tecidos. Dependendo do grau do edema, pode ser utilizada a drenagem manual que pode proporcionar uma rápida diminuição do edema.

A drenagem linfática é executada através de movimentos circulares e suaves sobre os pontos onde existe os vasos linfáticos. Quando estimulados, a circulação linfática proporciona a distribuição de líquidos e a movimentação de toxinas em direção aos rins para que sejam eliminadas posteriormente.

Geralmente o curso de drenagem linfática prepara o profissional para conhecer sobre o método do doutor Vodder, componentes do sistema linfático, fluxo da linfa, capilares, vasos, fisiologia, indicações, contra-indicações, gânglios linfáticos, celulite, gordura localizada, vias linfáticas, conceitos sobre movimentos de acordo com a área de aplicação da técnica de massagem entre outros conhecimentos.

A causa da celulite é o acúmulo de gordura subcutânea que forçam a retração da pele causando a aparência de casca de laranja, a massagem linfática permite amenizar ou diminuir medidas e a celulite eliminando os líquidos retidos em determinados pontos do corpo.

Utilizando essa técnica de massagem você está trabalhando com dois recursos do sistema linfático, que seria a captação e evacuação. Os vasos linfáticos facilitam a eliminação de toxinas e o transporte de elementos nutritivos para várias partes do corpo.

Atualmente a massagem linfática é uma das técnicas mais procuradas pois atua como um descongestionante eliminando o excesso de líquidos através da circulação linfática e por ativar o sistema imunológico.

Os movimentos geralmente executados nessa técnica são suaves, circulares e precisos  através de manobras com as mãos ou por equipamentos eletrônicos.

A massagem linfática corporal pode ser indicada por um médico ou especialista, para eliminar o excesso de líquidos ou toxinas e melhorar a oxigenação e nutrição dos tecidos. Após avaliação, pode ser que essa técnica seja indicada no tratamento de:
 • Celulites;
 • Melhora a circulação sanguínea;
 • Diminui a retenção de líquidos;
 • Tratamento de certos tipos edemas;
 • Inchaços;
 • Tensão pré-menstrual;
 • Sinusite;
 • Stress;
 • Entre outras aplicações.

 Essa técnica exige o acompanhamento de um especialista portanto, antes de realizar o tratamento através da drenagem linfática, você deve verificar quais são as indicações e contra-indicações e consultar seu médico.


Fonte: http://www.massagemrelaxantesp.com.br/drenagem-linfatica.htm

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Quais os efeitos reais da Massagem?

 Efeitos Fisiológicos da Massagem
Por que muitos afirmam que nosso trabalho não passa de "charlatanismo"? E quem realmente pode efetuar Massagem? Quem pode receber Massagem?

1. Efeitos sobre a Pele
Alguns autores comprovaram que a massagem atua de forma direta sobre as camadas superficiais da epiderme, tornando mais eficaz a função das glândulas sebáceas e sudoríparas e outros efeitos:
•  Melhora a permeabilidade dos poros;
•  Melhora a micro-circulação;
•  Aumenta a hidratação da pele;
•  Aumenta a elasticidade da pele e de estruturas abaixo desta.
Rosenthal observou que a massagem aumenta a temperatura cutânea de 2 a 5 graus através de efeitos mecânicos diretos e de efeitos vasomotores indiretos.
Atua ainda sobre as terminações nervosas sensitivas, diminuindo sua hipersensibilidade, aliviando, assim, algumas dores.
Nas fraturas, após a retirada do gesso, a massagem atua provocando descamação das células mortas. Nas aderências e cicatrizes, os movimentos de fricção são úteis para diminuí-las.

2. Efeitos na Circulação Sangüínea
Mennel: "A pressão da massagem em direção da circulação venosa é comparável com o ato de comprimir qualquer tubo elástico, fazendo esvaziar seu conteúdo líquido".
A massagem pode atingir a circulação de 2 modos:
a) Efeito Mecânico é feita no sentido centrípeto, auxilia a circulação de retorno venoso e linfático;
b) Efeito Reflexo é provoca a contração das fibras musculares lisas das paredes dos vasos.
A pressão ligeira provoca uma dilatação dos vasos de forma imediata e fugaz. A pressão intensa prolongada produz dilatação mais duradoura.
A massagem melhora a circulação cutânea, principalmente artérias e veias superficiais e capilares linfáticos; ajuda o intercâmbio de líquidos tissulares da epiderme; aumenta a nutrição dos tecidos e elimina produtos de fadiga e inflamação.
Teoricamente, a massagem poderia aumentar a quantidade de sangue venoso que chega ao coração, a freqüência do trabalho cardíaco e também poderia aumentar a quantidade de sangue arterial que chega à periferia

3. Efeitos sobre os Componentes Sangüíneos
Mitchel (1945) - afirmava que técnicas de massagem aumentavam as hemácias e a taxa de hemoglobina.
Mas, novas experiências mostram que o aumento das hemácias se dá por aumento de circulação, e não por formação de hemácias.

4. Efeitos sobre a Circulação Linfática
Nos capilares linfáticos da pele e tecido subcutâneo, a linfa pode mover-se em qualquer direção (Földi, M.2000). Seu movimento depende das forças externas do sistema linfático (gravidade, contração muscular, movimento passivo e massagem). Se houver obstrução em qualquer parte dos vasos linfáticos profundos, ainda é possível manter os vasos linfáticos superficiais abertos. Se a parte é massageada, é oferecida a oportunidade de drenar pela gravidade (a linfa se moverá através dos canais).
Lodd, Kottke e Blanchard (1986), ao comparar os efeitos da massagem, movimentação passiva e estimulação elétrica sobre a velocidade da linfa nas coxas de 15 cães, verificaram que a massagem foi significativamente mais importante nesta série de animais.
Bell recomendou o uso de massagem para o tratamento de edema de fraturas, em vista de seu efeito sobre o fluxo venoso e linfático.
A massagem deve ser feita com o paciente bem relaxado; se não houver relaxamento muscular, a luz dos vasos sangüíneos e linfáticos fica reduzida e a circulação não pode ser integralmente influenciada pela massagem.

5. Efeitos sobre o Tecido Muscular
A literatura referente aos efeitos da massagem contém um número relativamente grande de afirmações positivas e implicações sobre o efeito da massagem no tecido muscular, em comparação com os seus efeitos sobre outros tecidos e sistemas de organismo.
• Músculos Normais: Kellog: "A massagem produz verdadeiro aumento de volume das estruturas musculares. Também faz com que o músculo fique mais firme e elástico".
Despard: "A massagem melhora a nutrição de músculos e, portanto, promove seu desenvolvimento".
McMillan (1945): "Os músculos se fortalecem e crescem mediante manipulação".
Autores modernos concordam que a massagem não aumenta a força muscular, mas aumenta a circulação sangüínea e linfática. Assim sendo, o músculo em questão receberá um maior aporte de sangue oxigenado e, aí sim, terá maior resposta às atividades que está executando.
Mennel: "A força muscular pode ser desenvolvida somente pela contração muscular e nenhuma forma de massagem tem influência, há não ser indiretamente. A massagem pode ser útil, possibilitando ao músculo realizar mais exercícios e, assim, desenvolver sua força".
Rosenthal e outros demonstram que o músculo fatigado por trabalho ou estimulação elétrica recupera-se muito mais rapidamente mediante aplicações de massagens do que por meio de repouso.
Nordschow e Bierman concluíram que "a massagem manual pode causar relaxamento dos músculos voluntários".
Alguns autores afiram que a massagem aumenta o tônus muscular, mas isto não está comprovado experimentalmente (Cassar, M. P.1998).
• Músculos Lesionados: Castex provocou lesões por amassamento em músculos de animais. Aplicou massagem em um grupo e em outro não.
Os músculos não tratados apresentaram:
1 - Dissociação de fibras musculares;
2 - Hiperplasia com engrossamento do tecido conjuntivo;
3 - Aumento do número de núcleos do tecido conjuntivo;
4 - Hemorragias intersticiais;
5 - Aumento do diâmetro dos vasos.
Nos músculos tratados, houve:
1 - Músculos com aspecto normal;
2 - Sem bandas fibrosas separando fibras musculares;
3 - Sem engrossamentos fibrosos ao redor dos vasos;
4 - Em geral, o volume muscular era maior;
5 - Sem sinais de hemorragia;
6 - Sarcolema intacto.
• Músculo Desnervado: Foi muito utilizada a massagem sobre o músculo desnervado, mas pouco se sabe sobre a sua atuação.
Chor e Dolkart (1990) estudaram a atrofia muscular por desuso e a atrofia de músculos desnervados. Observaram que a atrofia que se produz em um músculo esquelético que não está em uso é lenta e acompanhada de mudanças estruturais muito simples. A atrofia consecutiva à secção nervosa ou lesão das células do corno anterior da medula espinhal é maior do que a resultante da falta de uso. Eles consideraram inevitável a atrofia e degeneração dos músculos esqueléticos desnervados e logo comprovaram que a massagem não previne a atrofia depois de um período de seis semanas, mas graças ao seu efeito inibidor sobre a formação de tecido fibroso permite aos músculos normalizarem-se com mais rapidez depois de restabelecer sua inervação.
• Fibroses e Contraturas: A fibrose ocorre em músculos imobilizados, lesionados ou desnervados e pode provocar contraturas. O músculo encurta-se por falta de elasticidade do tecido fibroso e por formação de aderências entre as capas de tecido conjuntivo. É possível que a massagem, ao exercer tensão sobre o tecido fibroso, previna a formação de aderências e quebre pequenas aderências já formadas. Através de amassamento e fricção.
O QUE SE VISA ALCANÇAR ATRAVÉS DA MASSAGEM É MANTER OS MÚSCULOS NO MELHOR ESTADO DE NUTRIÇÃO, FLEXIBILIDADE E VITALIDADE PARA QUE DEPOIS DA RECUPERAÇÃO DO TRAUMA OU DOENÇA, O MÚSCULO POSSA FUNCIONAR NO SEU MÁXIMO.

6. Efeitos sobre o Tecido Adiposo
É o tecido que se acha logo abaixo da pele, vasos sangüíneos e linfáticos circulam em sua superfície. É constituído de fibras elásticas e células conjuntivas. A massagem sobre este tecido repara os males causados pela insuficiência circulatória (varizes e celulite).
Neste tecido, a massagem deverá ser um pouco mais enérgica, mas nunca com força exagerada, pois pode haver hematomas, e uma massagem onde o paciente apresenta hematomas foi mal feita (Wood & Domenico), pois ocorreram rupturas de vasos sangüíneos e capilares linfáticos, e isso só vai prejudicar o trabalho do profissional, acarretando muitas vezes na perda do paciente.
A espessura do tecido celular subcutâneo é variável, dependendo da maior ou menor quantidade de gordura localizada no paciente.
A massagem no tecido celular subcutâneo adiposo localizado facilita mobilização de líquidos corporais, aumentando, assim, em alguns casos, a diurese e o trabalho intestinal.
Muitos profissionais afirmam que a massagem pode "queimar" gorduras. Esses profissionais apenas deturpam os conhecimentos de anatomia e fisiologia, pois a massagem não "queima" gordura. E na literatura médica séria (Guyton 2002 e Jacbson 1988) não há menção de algo desse tipo. A única forma de "queimar" gorduras é fazer um sério trabalho de reeducação alimentar e exercícios físicos. Neste caso sim, a massagem poderá auxiliar numa desintoxicação e melhorar a auto-estima do paciente.
Krusen (1941) sustentou que a observação clínica e tentativas de eliminação, de gordura com massagem foi falho, o que se consegui foi somente pequenas hemorragias nas regiões submetidas ao tratamento.
Estudos microscópicos das áreas massageadas não revelaram nenhuma alteração na gordura, segundo Wrigth, Kalb (1975) somente pequenas hemorragias subcutâneas.

7. Efeitos sobre o Osso
Key e Cols realizaram massagem durante 10 min. 2 vezes ao dia, durante seis semanas em paciente e não notaram nenhuma alteração em relação a outro indivíduo com a mesma atrofia óssea local.
A massagem é usada amplamente para tecidos moles ao redor da fratura, pois esses tecidos acabam criando fibroses e contraturas que poderão limitar os movimentos da região afetada e poderão apresentar edemas, que com o uso criterioso de algumas técnicas de massagem poderão diminuir e, assim, o paciente terá uma recuperação mais rápida e com menos dor.
Mack (1990) relatou: "algumas investigações recentes tendem a mostrar que o calo ósseo é formado seguindo a linha de novos vasos sangüíneos formados no foco de fraturas; em conseqüência, tudo que intensifique a circulação na área da fratura, sem produzir deslocamentos dos fragmentos, deve ajudar a deposição de ossos". Neste caso, uma massagem leve pode auxiliar, pois aumentando a circulação, ocorrerá uma melhor organização dos novos vasos sangüíneos que estão se formando e redução do edema que, muitas vezes, acompanham uma fratura.

8. Efeitos sobre o Metabolismo
Curthbertson e seus experimentos demonstraram:
• A excreção de urina aumenta, sobretudo, após uma massagem abdominal;
• A excreção de ácidos e o equilíbrio ácido-básico do básico do sangue não se alteram;
• A excreção do nitrogênio, fósforo inorgânico e cloreto de sódio aumentam;
• Em pessoas normais, não há efeito sobre o consumo basal de O2 na freqüência cardíaca ou pressão arterial.
Rosenthal concluiu que o efeito cumulativo sobre os diversos processos metabólicos deve-se à sua influência sobre a circulação das regiões em que se aplica.

9. Efeitos sobre o Sistema Nervoso
Chor e Cols comprovaram que a massagem e o exercício passivo não influem no grau de regeneração de um nervo periférico seccionado e suturado.
Von Mesengeil comprovou clinicamente que a dor causada por massagem intensa diminui de forma gradual à medida que se continua o tratamento por algum tempo.
O efeito sedativo geral é fácil de demonstrar e Mennell afirmou que "provavelmente atua sobre o sistema nervoso central em forma local sobre os nervos sensitivos e talvez motores". A massagem aplicada de forma enérgica tem ação estimulante e excitante.

10. Efeitos nos Pulmões
Cyriax (1950 & 1990) relatou que as técnicas de percussão, combinadas com drenagem postural, podem deslocar o material mucoso e muco-purulento dos brônquios e que a gravidade e vibração ajudam a mover as secreções da periferia insensível do pulmão para a área em que o reflexo de tosse está presente.

11. Efeitos sobre o Abdômen
Causa excitação sobre os centros nervosos, melhorando o peristaltismo dos intestinos e auxiliando, assim, a absorção dos nutrientes em nível intestinal, bem como na evacuação do bolo fecal, ajudando também a combater a prisão de ventre (Cassar, 1998; Wood & Domenico, 1998).

12. Efeitos Psicológicos da Massagem
A atenção concentrada do massagista para o paciente, combinada com a sensação física agradável, freqüentemente estabelece uma relação de confiança entre o massagista e o paciente, que revela suas inquietações. O massagista deve ser cuidadoso em prevenir que não se crie dependência entre paciente e profissional.

Fonte: http://www.belezain.com.br/massoterapia/efeitos_massagem2.asp

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

As inter-relações: corpo, mente e alma

Terapeuta natural de formação, Candice Kremer Tieze é estudante de Psicologia na PUCRS e estagiária no Instituto Junguiano do Rio Grande do Sul (IJRS).

De acordo com ela, “Nossa mente, corpo e alma estão interligados sempre, e os sintomas das doenças devem ser escutados para haver a cura, afinal, o corpo fala quando faltam palavras para a alma se expressar.”
A partir da expressão qualidade de vida, tão mencionada na atualidade, Candice questiona: Mas o que vem a ser saúde? E o que é doença? Será saúde a ausência de doença?
Para a Organização Mundial de Saúde ( OMS), a saúde é definida como bem-estar (bio-psico-sócio-espiritual), o que abrange todo um contexto no qual o ser está inserido, sem falar de seu corpo, psique e crenças.
As mudanças ocorridas no mundo durante os últimos anos nos trazem tecnologia, mas em contrapartida, um meio ambiente cada vez mais “machucado”, um esquecimento do ser e uma hipervalorização do ter (ter mais dinheiro, mais bens, mais e mais). É sobre o esquecimento do ser e suas relações sadias (consigo mesmo e com os outros) que vamos tratar. Quais suas consequências? O que fazer para melhorar a saúde e promover um novo caminho trilhado pela sua própria consciência?
Nessa perspectiva, as inter-relações corpo, mente e alma serão abordadas, devido à importância da visão holística e da integridade do ser, uma vez que aos poucos o homem vai constatando que as atividades mentais desempenham significativa participação no desenrolar das situações materiais e na saúde do corpo.
E, apesar de os agentes físicos causadores das doenças estarem presentes, elas ocorrem num ambiente emocionalmente propício àquela manifestação. Os sentimentos se desestabilizam, desorganizando os sistemas do corpo. Isso causa a vulnerabilidade para a manifestação da doença. Um exemplo é a gripe, fisicamente causada por vírus, mas que se dá também pela baixa imunológica.
Portanto, é necessária a reconexão com o mundo interior para uma vida em harmonia. Muitas são as técnicas que auxiliam neste processo, e, cada pessoa adapta-se àquela que mais lhe agradar. Algumas sugestões de prevenção ou técnicas que ajudam no reequilíbrio do ser: meditação, leituras, acupuntura, massagens (ayurvédica, relaxante), auriculoterapia, terapias corporais, psicoterapia, reiki, fitoterapia, florais, musicoterapia, arteterapia, dançaterapia, etc.

Fonte: http://www.oaltotaquari.com.br/portal/2011/08/as-inter-relacoes-corpo-mente-e-alma/

Dor na coluna? Conheça os tratamentos mais indicados - por Alex Botsaris


Um recente estudo sobre prevalência de dor na coluna feito pelo CDC nos Estados Unidos avalia que a prevalência (quantidade de pessoas que apresentam um problema num determinado intervalo de tempo) de dores na coluna naquele país, num período de 3 meses, é cerca de 31% em adultos (1/3 dos americanos com 18 anos ou mais). Isso significa que a cada 3 meses 34 milhões de americanos tem um episódio de dor na coluna lombar, 10 milhões tem dor na coluna cervical e 19 milhões dor em ambas, ao mesmo tempo.
Nesse estudo também foi identificado que as pessoas que sofrem de dores na coluna passam por um forte estresse emocional devido à dor recorrente, e que isso prejudica sua qualidade de vida assim como seu desempenho profissional. Por isso o CDC classificou a dor na coluna como “sério problema de saúde pública”. Até hoje, não estão claras as causas de dores crônicas na coluna. Algumas pessoas têm problema identificáveis, como hérnia de disco ou artrose, mas a maioria dos pacientes que sofrem desse mal, não tem uma causa definida.


Aliar tratamentos da medicina complementar à medicina tradicional é o caminho mais indicado. Acupuntura, massoterapia e RPG trazem bons resultados.

A medicina convencional possui como armas contra dores na coluna, medicamentos analgésicos, antiinflamatórios e fisioterapia. Essas armas em geral só conseguem debelar os sintomas de uma parte daqueles que sofrem com esse mal. A maioria tem apenas uma melhora parcial e necessita buscar recursos adicionais na medicina complementar para vencer a dor. No arsenal da medicina complementar encontramos vários instrumentos poderosos de tratamento que podem ajudar muito os portadores de dor crônica na coluna. A mais famosa para esse fim é a acupuntura. Dentre as aplicações da acupuntura, a que foi mais estudada, e comprovada cientificamente foi sua indicação no controle da dor. As agulhas da acupuntura estimulam pontos na pele que induzem a liberação, no cérebro e na medula, de substâncias que atuam como analgésicos: como as endorfinas e as encefalinas. Por outro lado há também uma redução de um peptídeo chamado de substância P que funciona aumentando a dor e a inflamação. Ao nível da medula espinhal a acupuntura bloqueia a entrada de estímulos dolorosos no sistema chamado de “portão da dor”. O resultado disso, é um alívio quase imediato, da dor na coluna após a aplicação das agulhas, na maioria das pessoas.
Um segundo instrumento muito eficiente de tratar dores na coluna é através das técnicas alternativas de fisioterapia como a RPG e o método de Alexander, chamados de “terapias corporais”. Essas técnicas trabalham de várias formas, a postura corporal, relaxam, e alongam a musculatura antigravitacional (aquele que se opõe à força da gravidade para nos manter de pé), e dessa forma contribuem para desfazer espasmos musculares e outros problemas que participam da causa de dores na coluna.
É preciso citar as escolas de manipulação da coluna, a quiroprática e a osteopatia. Essas escolas fazem diagnósticos sutis de desvios na coluna e se propõem a resolver esses desvios. Em geral a estratégia é reposicionar as vértebras, alinhando-as, empurrar as estruturas para seu lugar correto e desfazer compressões de músculos e nervos. Existem trabalhos publicados na literatura, em especial nos Estados Úmidos mostrando resultados surpreendentemente bons com essas técnicas. Isso as tornou famosas nos EUA, onde existem milhares de profissionais legalizados. Aqui no Brasil é mais difícil achar um bom profissional nessa área.
Por fim temos as técnicas de massagem, hoje em dia chamadas de massoterapia. Elas são muito importantes na prevenção da recorrência dos episódios de dor na coluna. Todas pessoas que têm episódios repetidos de dor lombar ou cervical deveriam fazer ao menos uma aplicação semanal de massagem. A massoterapia relaxa a musculatura da coluna, alonga os espaços entre as vértebras, estimula e circulação sanguínea na pele e músculos adjacentes, e isso tudo previne espasmos e compressões.
Entre as principais escolas de massagem temos a sueca, a chinesa (Tui Na) a japonesa (Shiatsu) e a indiana (Ayurveda). Todas são eficientes na prevenção e tratamento de dores na coluna, além de gerarem prazer e relaxamento. Vale a pena experimentar.

Atenção! Esse texto e esta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um médico e não se caracterizam como sendo um atendimento.

Fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar/dor_nas_costas.htm

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Os diversos benefícios da massagem para a saúde - por Alex Botsaris

O termo massagem vem do francês massage, palavra inspirada em massa - a massa do pão - e nos movimentos feitos com a mãos pelos padeiros na sua confecção.
A massagem ficou famosa na Europa no século XIX, vinda da Suécia onde o esgrimista Per Henrik Ling criou o Real Instituto de Ginástica, para desenvolver técnicas de tratamento para problemas músculo-esqueléticos. Nesse instituto foi criada a massagem sueca, que depois se popularizou no resto do continente europeu.
Mas a massagem já era conhecida na Europa, desde a antiguidade, só que não contava com uma sistematização, um nome, e a organização de publicações, como no trabalho realizado Ling. Médicos da Roma e da Grécia antigas, como Hipócrates - o pai da medicina - e Galeno usavam a massagem como uma de suas armas terapêuticas. Há indicativos que a massagem é mais antiga ainda, tendo sido usada por médicos chineses e indianos desde tempos imemoriáveis. Hoje em dia escolas orientais, como o Shiatsu, a Tui-Na e a massagem ayurveda, são as correntes mais fortes de massagem que existem no mundo em termos de fama, aceitação e número de praticantes.
Na visão simplista, a massagem tem utilidade apenas para problemas musculares. Contudo, o que os estudos têm demonstrado é que ela tem um potencial muito mais amplo de benefícios à saúde. Ela reduz a ansiedade e pode minimizar o humor depressivo. Por isso surgiram trabalhos clínicos demonstrando benefícios da massagem em insônia, depressão e ansiedade. Até em enfermidades psiquiátricas mais complicadas, como anorexia nervosa e transtorno obsessivo-compulsivo, existem resultados sugerindo um efeito significativo.
A massagem também possui capacidade de reduzir a dor, e tem sido indicada na dor crônica da fibromialgia, lombalgia, cervicalgia e enfermidades reumáticas. Juntando todas as ações da massagem citadas aqui (reduzir a ansiedade, relaxar a musculatura e combater a dor) temos aí um excelente recurso para os casos de estresse.
A massagem ainda ajuda na circulação periférica, em especial para auxiliar a remoção de fluidos pelo *sistema linfático. Por isso tem sido indicada em casos de edema, em especial, causados pela remoção cirúrgica de **gânglios linfáticos. A massagem pode ser empregada ainda em constipação intestinal (intestino preso) para estimular os ***movimentos peristálticos e com isso ajudar a recuperar o ritmo intestinal.
Seus benefícios não se restringem aos adultos e alcançam os extremos da vida. Em crianças muito pequenas ela representa um estímulo que melhora a imunidade e o desenvolvimento do sistema nervoso. Por isso vários trabalhos com recém-nascidos, em especial em populações com baixo nível social, mostram que a massagem acalma, melhora o sono, aumenta a velocidade de ****ganho ponderal e até reduz a mortalidade por doenças em geral. Crianças com autismo têm se mostrado sensíveis a massagem, que pode reduzir alguns de seus sintomas. Nos idosos ela ajuda a resolver problemas como dor, ansiedade, edemas nas pernas e depressão.
Pesquisadores investiram também em descobrir como a massagem funciona. Quando massageamos a pele produzimos estimulações nervosas que explicam a maior parte de suas ações. Parte desses estímulos, por uma ação reflexa direta na medula espinhal, causa redução do tônus muscular, o que gera um bem-estar com relaxamento. Esses mesmos estímulos vão causar um bloqueio na condução nervosa das fibras de dor, num mecanismo conhecido como "portão medular da dor" e com isso há um alívio de sensação dolorosa. Os estímulos que chegam ao cérebro causam uma redução da reação de estresse, que se traduz por uma redução do cortisol (hormônio da supra-renal) e uma elevação da serotonina no cérebro - o que dá sensação de calma e bem-estar. Com isso há redução da ansiedade e melhora da qualidade do sono. Foi detectada ainda uma melhora na imunidade de pacientes com câncer que receberam massagem, que pode ser explicada por uma redução do estresse causado por esse diagnóstico. Mas as indicações de massagem em câncer devem ser feitas por um especialista. Os estímulos da massagem, por fim, atuam diretamente sobre os tecidos e podem ser usados para impulsionar os fluidos nos vasos linfáticos, o que explica a sua ação no *****edema linfático.

* Sistema linfático - Sistema de canais e de ductos (os vasos linfáticos), distribuídos em todo corpo, que conduzem a linfa, um líquido transparente e semelhante a água que se forma nos tecidos do organismo humano. Ele faz parte do sistema imunológico do corpo, por isso desempenha papel importante nas defesas contra infecções

**Gânglios linfáticos - São estruturas de forma ovalada, em geral do tamanho de uma grão de arroz que se situam nas regiões de convergência de vasos linfáticos, onde funcionam como filtros, onde elementos estranhos ao organismo podem se identificados e destruídos. Por isso são órgãos que fazem parte do sistema imunológico do organismo humano, podem produzir produzem anticorpos ou englobar bactérias.

*** Movimentos peristálticos - São movimentos involuntários que empurram o alimento (também denominado bolo alimentar, quimo ou quilo, de acordo com a fase da digestão) ao longo do canal alimentar, para que a digestão se processe de forma fisiológica (normal) e os resíduos sejam eliminados na forma de fezes.

****Ganho ponderal = ganho de peso

*****Edema linfático - É o edema (inchação) que se forma por acúmulo de linfa, em geral secundário a um mau funcionamento dos vasos linfáticos.


Atenção! Esse texto e esta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um médico e não se caracterizam como sendo um atendimento.


Fonte: http://luizaterapia.blogspot.com/2009/06/depressao-massagem-ajuda-voce.html

Massagem, aliada do corpo e da mente!


 A massagem é um dos métodos mais antigos de tratamentos medicinais e estéticos, tem suas origens nos tempos de Hipócrates, o pai da medicina, que já apontava os seus benefícios para o corpo.
Na área estética, a massagem acelera o metabolismo e melhora a circulação sanguínea,  por isso, é considerada uma aliada valiosa no combate da celulite e da gordura localizada, além de ajudar a modelar o corpo.
Na área medicinal são vários os benefícios comprovados: relaxamento dos músculos tensos, alívio da dor muscular, melhora na circulação sanguínea alem do auxílio no tratamento de problemas emocionais, como depressão e stress duas manifestações cada vez mais comuns nos dias de hoje.

Massagem anti-stress:
Ela é clássica. Com movimentos suaves e ao mesmo tempo firmes nas áreas cervical, lombar, trapézio (ombros) e costas, ela proporciona relaxamento, diminuição de insônia, depressão, ansiedade etc. Não é recomendada em casos de dores agudas, fraturas, febre ou restrições médicas específicas.
 Massagem anti-depressão
A depressão afeta o estado de humor da pessoa, deixando-a triste e desesperançosa e a massagem relaxante torna-se uma grande aliada no combate a este estado emocional porque funciona como válvula de escape para os problemas, uma vez que relaxa e alivia tensões.

Segundo afirma a massoterapeuta Luísa Helena Cardassi, tratamentos alternativos como a massagem são grandes aliados da medicina, não só na prevenção como na cura de muitas doenças. “A massagen mais indicada para os casos de depressão é a Massagem Relaxante, mas a Ayurvédica, Drenagens Linfáticas e a Reflexologia também ajudam na maioria dos casos”.

Existem vários tipos de massagens e diferentes produtos cosméticos indicados para a funcionalidade de cada tipo. A ADCOS, por exemplo tem o Leite Relaxante de Algodão Áreas de Tensão, da linha Home Spa. Os princípios ativos do produto são os óleos de algodão, essecial de Parchchouly, canela, laranja, lemongrass e de bergamota e os extratos de alecrim, gengibre e capsicum. A combinação associada à massagem auxilia no alivio e relaxamento de tensões acúmuladas.

Seja qual for a razão uma massagem é sempre bem vinda. Para começar ou terminar um dia ela é sempre uma boa maneira de manter o corpo e a mente relaxados e saudáveis.

Fonte: http://www.cuide-sebem.com.br/caderno.php?t=431

Massagem na depressão!

A massagem sempre foi um dos meios mais naturais e instintivos de aliviar a dor e o desconforto. É comum verificar que quando uma pessoa tem músculos doloridos, dores abdominais, uma contusão ou um ferimento, o impulso instintivo é tocar e/ou esfregar essa parte do corpo para obter alívio.
O toque como método de cura parece ter inúmeras origens culturais e é provável que a massagem tenha começado quando habitantes das cavernas esfregavam suas contusões (FRITZ, 2001 p. 12).
A massagem terapêutica tem fortes raízes na medicina popular chinesa, mas também possui muitos aspectos em comum com outras tradições de cura, como a medicina indiana e a medicina persa. Acredita-se que a arte da massagem tenha sido mencionada pela primeira vez por escrito em cerca de 2760 a.C., no grande tratado de medicina chinesa conhecido como Nei Chang e desde cerca de 500 a.C. vem sendo pesquisada e descrita extensamente em livros.
A literatura médica egípcia, persa e japonesa está cheia de referências à massagem. O médico grego Hipócrates (460 a.C) advogava a massagem e os exercícios de ginástica constantemente em suas terapêuticas. Asclepíades, outro eminente médico grego, confiava exclusivamente na massagem em suas práticas (WOOD, 1984, p. 3).
Ao longo da história, a massagem foi usada como ferramenta terapêutica e seu valor foi reconhecido por múltiplas e variáveis culturas. A fundamentação fisiológica em suporte ao uso da massagem tem progredido, indo de puramente empírica até algo mais científico (CDOF, 2006).
Os métodos de massagem terapêutica são simples e eficientes para produzir respostas mediadas por meio do sistema nervoso, da interação com o sistema endócrino, do tecido conectivo e dos sistemas circulatórios. Técnicas de massagem terapêutica são capazes de substituir a farmacêuticas em casos de manifestações brandas de sintomas em determinadas disfunções. Como suplemento de ajuda à terapia medicamentosa pode reduzir as dosagens e a duração do uso de fármacos, diminuindo assim o risco de efeitos colaterais. O uso da massagem para a ansiedade, a depressão e a dor crônica pode ser benéfica em conjunção com um protocolo de tratamento multidisciplinar (FRITZ, 2001, p. 174).
As técnicas manuais de massagem são fisiologicamente específicas e bem definidas pelo modo de aplicação (esfregar, tracionar, pressionar); pela velocidade e a profundidade da pressão (sustentada ou lenta, rítmica, intervalada ou rápida); pela intensidade do toque (toque leve, toque profundo e uma combinação dos dois); e pela parte do corpo do terapeuta usada para aplicar as técnicas (dedos, mão, antebraço ou joelho).
As técnicas de massagem terapêutica e outros tipos e estilos de trabalhos corporais são meras variações da aplicação fundamental de manipulações, que proporcionam estimulação sensorial externa e efeitos internos. Os benefícios das técnicas são simplesmente o resultado de efeitos fisiológicos básicos desencadeados pelo estímulo tátil (FRITZ, 2001, p. 151).
Portanto, tentaremos elucidar no tópico a seguir aspectos fisiológicos básicos da massagem que podem ser útil na psicobiologia da depressão.

Efeitos fisiológicos da massagem na depressão

É importante lembrar que quando os pacientes são tocados, a sua psique também é tocada; é literalmente impossível separar a psique do corpo. É comum que o tratamento físico seja capaz de alterar o estado psicológico do paciente, em forma de alterações de humor, de uma nova percepção da imagem corporal e em mudanças de comportamento.
Perls, fundador da psicologia da Gestalt, salientou que estimular as sensações (como por meio da massagem) e aumentar a conscientização corporal contribuem para “alimentar” a psique, promovendo uma melhor integração  entre o corpo e a mente. Darbonne, terapeuta gestaltista e rolfista, recomenda o uso da técnica de massagem para aumentar a consciência do corpo em prol do crescimento pessoal (LEDERMAN, 2001, p. 177).
Os conceitos fundamentais que explicam os efeitos da massagem terapêutica baseiam-se no princípio de que a massagem age diretamente nos tecidos moles ou fluídos corporais estimulando o sistema nervoso, o sistema endócrino, as substâncias químicas do corpo, além de sua ação como efeito placebo.
Nesta atuação da massagem sobre o Sistema Nervoso, sobre as substâncias químicas do corpo, sistema endócrino e efeito placebo, as principais informações foram encontradas no livro de Fritz (FRITZ, 2001, p. 151 a 157) intitulado: “Fundamentos da massagem terapêutica” e serão abordados conforme o autor propõe em seu livro, falando sobre a atuação da massagem em cada um dos sistemas e colocando, a seguir – após cada item - afirmações oriundas do autor sobre evidências e pesquisas que demonstraram a eficácia da massagem, por exemplo, na modificação de níveis de alguns neurotransmissores ou substâncias neuroendócrinas.

Os efeitos da massagem sobre o Sistema Nervoso
Os efeitos da massagem ocorrem através do inter-relacionamento do Sistema Nervoso Central (SNC) e periférico (e seus padrões de reflexo e múltiplos caminhos), além do sistema nervoso autônomo (SNA) e do controle neuroendócrino.
O sistema nervoso responde aos métodos de massagem terapêutica por meio da estimulação dos receptores sensoriais pelo toque. A estimulação sensorial da massagem interrompe um padrão existente nos centros de controle do SNC, resultando numa mudança de impulsos motores. Essa mudança nos impulsos motores acarretaria uma alteração da homeostase e regularia os padrões vitais e a liberação de neurotransmissores.
Pesquisas atuais apontam que a maioria dos problemas no comportamento, humor e percepção de estresse e dor, bem como outras desordens chamadas de mentais/emocionais, são causadas pela desregulação ou falta das substâncias bioquímicas. A massagem regularia esses níveis bioquímicos, melhorando os sinais de ansiedade, atenção e diminuindo os traços depressivos.

A influência da massagem nas Substâncias Neuroendócrinas
Algumas das principais substâncias químicas reuroendócrinas influenciadas pela massagem são as seguintes:
- Dopamina: Influencia a atividade motora e do humor.
- Serotonina: Regula o humor e reduz a irritabilidade. Também modula o ciclo de sono/vigília. Um baixo nível de serotonina tem implicação na depressão, distúrbios alimentares, problemas de dor e desordens obsessivo-compulsivas.
- Epinefrina/Adrenalina e Norepinefrina/Noradrenalina: A epinefrina ativa mecanismos de excitação no corpo, ao passo que a norepinefrina funciona mais no cérebro. Elas são as substâncias químicas da ativação, da excitação, do alerta e do alarme; na resposta de luta e fuga e em todos os comportamentos e funções de excitação simpática. Se os níveis dessas substâncias químicas estão elevados, ocorre uma hiperatividade e uma hipervigilância - a pessoa pode ter um padrão de sono perturbado, em particular uma falta de sono. Com baixo nível dessas substâncias o indivíduo fica indisposto, sonolento, fatigado e subestimado.
- Encefalinas/endorfinas: São substâncias que levantam o ânimo e que dão suporte à saciedade e modulam a dor. A massagem aumenta os níveis disponíveis destas substâncias. A duração do efeito da massagem, em função do esgotamento das encefalinas é de aproximadamente 48 horas.
- Ocitocina: Ligada a sentimentos de atração, junto com suas funções mais clínicas durante a gravidez e lactação.
- Cortisol: Um dos hormônios liberados pelas glândulas supra-renais durante períodos de estresse prolongado. Níveis elevados desse hormônio indicam aumento de estimulação simpática.
Há evidências suficientes, também, que correlacionam o estresse à depressão – o que justificaria o fato da aplicação de massagem em pacientes estressados e/ou deprimidos.
- Hormônio do crescimento: Promove a divisão celular e em adultos tem sido implicado nas funções de regeneração e reparação de tecidos. A massagem dinamiza, de forma indireta, a disponibilidade do hormônio do crescimento, encorajando o sono e reduzindo o nível de cortisol.
Pesquisas tem demonstrado que a massagem terapêutica aumenta os níveis de dopamina, serotonina, encefalinas, endorfinas e a ocitocina, além de reduzir os níveis sanguíneos e salivares de cortisol. Esta informação é de grande relevância, visto que são hormônios altamente relacionados com os pacientes deprimidos.

Influências autônomas
O SNA é mais conhecido por sua regulação da resposta simpática de “luta/fuga/medo” e da resposta parassimpática de “relaxamento e restauração”. Os dois sistemas trabalham juntos para manter a homeostase do corpo.
A excessiva ativação simpática esta relacionada à maioria das doenças provenientes do estresse. O SNA é regulado por vários centros no cérebro, em particular o córtex cerebral, o hipotálamo e a medula oblonga. O hipotálamo desempenha um papel importante na conexão corpo/mente e é um dos principais componentes do sistema límbico.
O sistema límbico é um grupo de estruturas do cérebro, ativadas por excitação e comportamento emocional, que influenciam os sistemas endócrino e autônomo. As respostas límbicas são refletidas numa alteração geral do humor e em sentimentos de bem-estar e angústia.
A massagem mostrou-se efetiva na regulação dos circuitos neurais límbicos às respostas emocionais.


Relaxamento

Apesar da origem relativamente nova dos procedimentos de relaxamento, seus antecedentes históricos são antigos. Nos murais da Babilônia, encontram-se evidências do uso do relaxamento e da hipnose e há notícias de que os Assírios realizavam notáveis tratamentos baseados em "passes" ou induções médicas. Os Caldeus conheciam a astrologia e dedicavam-se a estudos de ocultismo. Pesquisavam as forças internas do ser humano com fins medicinais e entre estes estudos preponderava-se o relaxamento e o hipnotismo. Assim como os Caldeus, os egípcios, os Astecas, Mayas, Quíchuas e Incas (civilizações antigas) já praticavam o relaxamento e o hipnotismo (SANTOS, 2006).
Em 1890, mesmo havendo supor o abandono do relaxamento e da hipnose, Freud declarou num artigo:
"A hipnose confere ao médico uma autoridade de tal ordem que é provável que nenhum padre ou taumaturgo jamais a tenha possuído, pelo fato de ela concentrar todo o interesse psíquico do hipnotizado na pessoa do médico (SANTOS, 2006)".
E não hesitou em recomendar a todos os médicos, inclusive aos médicos de família, essa forma de terapia, que deveria ser situada no mesmo plano dos demais procedimentos terapêuticos e não ser considerada um recurso último.
As Técnicas do relaxamento constituem um conjunto de procedimentos de intervenções úteis não só no âmbito da Psicologia Clínica e da saúde, como também no da fisioterapia aplicada em geral. As primeiras publicações do relaxamento progressivo de Jacobson e o relaxamento autógeno de Shultz são de 1929 e 1932 respectivamente. Este último sendo uma das técnicas mais conhecidas no relaxamento e que consiste de uma série de frases que induzem à auto-sugestão e proposição de bem estar (SANTOS, 2006).
O relaxamento engloba algumas técnicas responsáveis por promover um estado de equilíbrio da ansiedade e da tensão muscular, oferecendo alternativas de como lidar com o estresse e com as alterações somático-mentais. 
Algumas intervenções para promoverem o relaxamento incluem meditação, relaxamento muscular progressivo, hipnose, biofeedback, técnicas que preconizam a respiração e a concentração.

Relaxamento como tratamento da depressão
Em reportagem da Folha de São Paulo: “Medicina se rende à prática da meditação”, os autores colocam que tal prática deve ser realizada entre 10 e 20 minutos, de uma a duas vezes ao dia. E comentam que a meditação preferencialmente deve ser realizada na posição sentada, num lugar calmo e a meia luz – porém, existem aqueles que a realizam andando, lavando pratos ou outras atividades. Além disso, um aspecto interessante da meditação é que o paciente pode gerir o seu próprio tratamento.
Grande parte das técnicas de relaxamento preocupa-se com a concentração e com a respiração, sendo estas partes importantíssimas do relaxamento. O paciente deve ser instruído a imaginar que as energias negativas são retiradas de seu corpo e que seu sangue está ficando oxigenado e limpo (FIGUEIRÓ, 2005, p. 127).
O passo seguinte de algumas técnicas de relaxamento é seguir para regiões específicas do corpo. Pede-se ao paciente que imagine seus braços, suas pernas, sua cabeça e seu tronco - em diversos e diferentes momentos. A dor e o incômodo devem ser esquecidos.
O próximo passo é pedir que o indivíduo imagine-se em um lugar que se sinta bem e longe de seus problemas de cotidiano e que, provavelmente, estejam causando seu desconforto. O paciente deve ser sempre influenciado com pensamentos e palavras boas (FIGUEIRÓ, 2005, p. 127).
Outra possível técnica de tratamento para a depressão é o relaxamento progressivo. O relaxamento progressivo pode ser praticado em posição deitada ou sentado, em uma cadeira com a cabeça apoiada. Cada músculo ou agrupamento muscular é tensionado de 5 a 7 segundos e então relaxado, de 20 a 30 segundos. Este procedimento é repetido pelo menos uma vez. Se determinada região continuar tensa, pode-se praticar até 5 vezes (DAVIS, 1996, p. 63).
Reynolds (REYNOLDS, 1986) realizou uma pesquisa comparativa entre o relaxamento e  técnicas de terapia comportamental em adolescentes deprimidos. O estudo foi composto por 10 sessões, de 50 minutos de relaxamento muscular progressivo, em que a 1ª sessão começou com a introdução do programa de tratamento. O terapeuta explicou todos os objetivos das sessões e os pacientes foram treinados a perceber os momentos de estresse que geravam tensão muscular associados à depressão. Nas sessões seguintes os pacientes foram ensinados a relaxar grandes grupos musculares, seguindo os princípios do relaxamento muscular progressivo.
Os pacientes eram incentivados a utilizar os ensinamentos obtidos nas sessões em situações que pudessem gerar estresse e tensão muscular. Na última sessão foi entregue o programa do tratamento e os indivíduos foram encorajados a realizar relaxamentos em possíveis fontes de estresse futuras (REYNOLDS, 1986, p. 563). O relaxamento mostrou-se superior a técnica comportamental na redução da ansiedade e do estresse, além de maior eficácia no controle dos sintomas depressivos.
Estudos recentes realizados pelo Grupo de Colaboração Psicossocial a Oncologia (Psychosocial Collaboration Oncology Group – PSYCOG) demonstraram que as técnicas de relaxamento obtiveram sucesso no controle da ansiedade, dor, náuseas e vômitos em pacientes submetidos à quimioterapia. O estudo apontou que os sintomas de ansiedade e depressão são comuns nesses pacientes e que as técnicas meditativas foram efetivas na redução dos traços depressivos e ansiosos, mesmo quando comparados com o uso de Alprazolam; porém cabe salientar que o Alprazolam foi superior (de forma pouco significativa) ao tratamento por relaxamento. E os autores colocam que a maior relevância da pesquisa foi o fato da terapia pelo relaxamento surgir como alternativa para pacientes que já administram muitos medicamentos e relutam em usar uma droga adicional (HOLLAND, 1991, p. 1004).
Em outro estudo realizado com mães adolescentes que adquiriam os sintomas depressivos, os resultados demonstraram que tanto as técnicas de relaxamento quanto as técnicas de massagem são efetivas no tratamento da depressão, porém de formas diferentes. A pesquisa foi realizada com 32 mães adolescentes divididas em 2 grupos que diferiram muito pouco em relação à idade, anos de escolaridade e etnia (71% negras, 29% latinas).
Os tratamentos propostos foram massagem e o relaxamento. O grupo de massagem (N = 16) recebeu 30 minutos de massagem por dia, em 2 dias consecutivos por semana, por 5 semanas consecutivas (10 sessões). A massagem foi realizada em decúbito dorsal nos primeiros 15 minutos e em decúbito ventral nos últimos 15 minutos. A massagem foi em todo o corpo e sempre no mesmo horário do dia (fim de tarde).
O grupo de relaxamento (N = 16) recebeu a mesma quantidade de sessões e mesma carga horária que o grupo de massagem. O relaxamento foi aplicado por 30 minutos por dia, por 2 dias consecutivos na semana, por 5 semanas consecutivas (10 sessões). Os primeiros 15 minutos foram compostos por exercícios de Ioga e os últimos 15 minutos consistiram na técnica de relaxamento muscular progressivo. Foram aplicadas as mesmas condições de controle da massagem.
Foram medidos os níveis de ansiedade, o pulso, os níveis de cortisol salivar, os níveis de cortisol sanguíneo e parâmetros comportamentais nos dois grupos, no primeiro e no último dia da pesquisa. Os dados da massagem (tabela 2) e os dados do relaxamento (tabela 3) foram comparados e demonstraram que o relaxamento é mais eficiente ao fim da terapia, mas a massagem tem seus efeitos em escala maior e em maior durabilidade (FIELD, 2006, p. 903).

Conclusão

A depressão, sendo um problema tão relevante de saúde pública, devido a sua alta incidência em todas as idades, sexos e classes sociais, necessita de arsenal terapêutico mais variado. Na prática clínica a equipe de saúde tem centrado suas ações contra a depressão basicamente em reduzidas ofertas, como a medicamentosa e a psicoterapêutica. Outras possibilidades terapêuticas devem ser buscadas, principalmente na área não medicamentosa – reduzindo os efeitos colaterais gerados por tal intervenção, possivelmente minimizando os gastos com saúde e favorecendo uma abordagem multidisciplinar para tal problema.
Conclui-se que as técnicas estudadas - acupuntura, exercício físico, massagem e relaxamento - apresentam resultados promissores no tratamento da depressão. O exercício físico aparentemente apresenta maior respaldo científico no que diz respeito à prevenção e ao tratamento da depressão – com estudos mais apurados, com maiores rigores metodológicos e com casuísticas importantes. Porém, cada técnica possui sua aplicação específica e a preferência do paciente, por uma das intervenções, parece ser um fator de muita valia.
 Porém, mais estudos são necessários para que claras orientações quanto à positividade de cada intervenção e as melhores maneiras de tratamento sejam estabelecidas. Realizando mais estudos comparativos com técnicas consagradas, verificando se existe uma melhor aplicabilidade em pacientes, por exemplo, com depressão leve ou moderada, realizando comparações com “grupos placebo” e estabelecendo assim, melhores coordenadas para o tratamento de tais pacientes.
Pela revisão bibliográfica pode-se perceber também, que as terapêuticas estudadas (acupuntura, exercício físico, massagem e relaxamento) devem ser cuidadosamente empregadas caso sejam o recurso único no tratamento da depressão; pois ainda não existe um consenso criterioso sobre a utilização devida destas técnicas.

Referência

Moretti FA, Caro LG - Terapias complementares no tratamento da depressão: acupuntura, exercício físico terapêutico, massoterapia e relaxamento - in. PsiqWeb, internet, disponível em www.psiqweb.med.br/, 2006

http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=234

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Drenagem Linfática

A drenagem linfática é uma técnica de massagem que auxilia no processo de eliminação de impurezas acumuladas entre as células dos tecidos pela corrente sanguínea.

É pelo sistema linfático que percorre o líquido (linfa) incolor e transparente que filtra essas impurezas. Quando há algum problema na circulação linfática, essas impurezas podem ficar "paradas" em determinados pontos do corpo o que pode ocasionar inchaços, espinhas, edemas etc. Nesse caso, após uma avaliação, o especialista pode recomendar a drenagem linfática.

A linfa é o líquido responsável pelo "transporte" do excesso de líquidos e toxinas . Esse sistema, é constituído de vasos linfáticos que recolhem e depois filtram líquidos e dejetos que retornam para a circulação sangüínea.
A massagem linfática foi criada pelo doutor Emil Vodder na década de 30, como um tratamento a seus pacientes que apresentavam os mais variados sintomas como: gripe, sinusite, renite etc. Esses paciente apresentaram os gânglios do pescoço inchados e duros, executando movimentos da drenagem linfática manual nos gânglios, doutor Emil Vodder identificou melhora significativa nos sintomas citados anteriormente.
Edema é o acúmulo de líquido em um espaço existente entre as células de um tecido conhecido como espaço intersticial. Geralmente, o edema diminui a circulação sanguínea prejudicando a nutrição dos tecidos. Dependendo do grau do edema, pode ser utilizada a drenagem manual que pode proporcionar uma rápida diminuição do edema.

A drenagem linfática é executada através de movimentos circulares e suaves sobre os pontos onde existe os vasos linfáticos. Quando estimulados, a circulação linfática proporciona a distribuição de líquidos e a movimentação de toxinas em direção aos rins para que sejam eliminadas posteriormente.

Geralmente o curso de drenagem linfática prepara o profissional para conhecer sobre o método do doutor Vodder, componentes do sistema linfático, fluxo da linfa, capilares, vasos, fisiologia, indicações, contra-indicações, gânglios linfáticos, celulite, gordura localizada, vias linfáticas, conceitos sobre movimentos de acordo com a área de aplicação da técnica de massagem entre outros conhecimentos.

A causa da celulite é o acúmulo de gordura subcutânea que forçam a retração da pele causando a aparência de casca de laranja, a massagem linfática permite amenizar ou diminuir medidas e a celulite eliminando os líquidos retidos em determinados pontos do corpo.

Utilizando essa técnica de massagem você está trabalhando com dois recursos do sistema linfático, que seria a captação e evacuação. Os vasos linfáticos facilitam a eliminação de toxinas e o transporte de elementos nutritivos para várias partes do corpo.

Atualmente a massagem linfática é uma das técnicas mais procuradas pois atua como um descongestionante eliminando o excesso de líquidos através da circulação linfática e por ativar o sistema imunológico.

Os movimentos geralmente executados nessa técnica são suaves, circulares e precisos  através de manobras com as mãos ou por equipamentos eletrônicos.

A massagem linfática corporal pode ser indicada por um médico ou especialista, para eliminar o excesso de líquidos ou toxinas e melhorar a oxigenação e nutrição dos tecidos. Após avaliação, pode ser que essa técnica seja indicada no tratamento de:
 • Celulites;
 • Melhora a circulação sanguínea;
 • Diminui a retenção de líquidos;
 • Tratamento de certos tipos edemas;
 • Inchaços;
 • Tensão pré-menstrual;
 • Sinusite;
 • Stress;
 • Entre outras aplicações.

 Essa técnica exige o acompanhamento de um especialista portanto, antes de realizar o tratamento através da drenagem linfática, você deve verificar quais são as indicações e contra-indicações e consultar seu médico.


Fonte: http://www.massagemrelaxantesp.com.br/drenagem-linfatica.htm