"Qualquer amor é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura."
- João Guimarães Rosa

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Massagem é ótima companheira da terceira idade

Pesquisas comprovam benefícios nos sintomas de doenças como osteoartrite e Alzheimer

Ana Carmen Foschini
A massagem alivia dores, melhora as articulações e é um tratamento complementar para os idosos
A população brasileira está envelhecendo. O número de idosos do Brasil dobrou nos últimos dez anos e chega a 20,5 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados em 2010. Em termos mundiais, o fenômeno se repete. O Fundo de Populações da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2012 estima que 1 em cada 9 pessoas tem mais de 60 anos. Neste cenário, as massagens podem ser boas companheiras. Pesquisas recentes demonstram que os efeitos da massoterapia incluem o alívio de sintomas da osteoartrite e do mal de Alzheimer.

Cotidiano mais simples

A massagem pode aliviar a dor, deixar as articulações mais flexíveis e melhorar a capacidade física de quem possui osteoartrite, uma doença crônica que gera a degradação das articulações. Isso facilita a realização de atividades cotidianas, segundo duas pesquisas publicadas pela Biblioteca de Medicina dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos.
A primeira pesquisa, realizada em Seattle, nos Estados Unidos, revelou que 57% dos 122 pacientescom osteoartrite procuraram massagem terapêutica nos cinco meses anteriores ao início da pesquisa. O grupo que participou de sessões de massagem alegou maior facilidade para realizar atividades cotidianas depois do início do tratamento.

Alívio dos sintomas

Outro estudo, realizado na Universidade de Medicina de Nova Jersey, analisou adultos com idades entre 55 e 75 anos com osteoartrite no joelho e reafirmou a hipótese de que massagem pode ajudar na diminuição da dor e da rigidez geradas pela osteoartrite, além de melhorar a capacidade física dos pacientes.
Para analisar os resultados do tratamento, os pesquisadores fizeram uso de um índex de osteoartrite, desenvolvido pelas Universidade de Western Ontário e McMaster, chamado Womac. O Womac é um questionário de autorrelato de 24 itens com escala que vai de 0 a 100.
Um aumento da nota indica melhora nos sintomas e limitações, já uma diminuição da nota indica piora. No grupo que participou das sessões de massagem, houve um aumento de 23 pontos na avaliação da dor, de 21 pontos na avaliação da rigidez e 20,5 na incapacidade física, o que indica um alívio significativo nos sintomas estudados.

Relaxamento

A massagem pode também reduzir comportamentos agressivos em pacientes com Alzheimer, segundodescobriram pesquisadores da Universidade de Nova Brunswick, no Canadá. Os dois estudos realizados revelaram que frequentar sessões de massagem diminui a agitação dos pacientes que apresentam demência em estágios leve e médio. Os benefícios trazidos pelo tratamento foram notados durante as sessões e até uma hora depois delas.
O mal de Alzheimer é caracterizado pela degeneração do sistema neurológico, que reduz as capacidades de trabalho e relação social, interferindo no comportamento e na personalidade de quem o possui. O paciente perde sua capacidade de memória de curto prazo. Ao longo do tempo, a doença se agrava e ele esquece também os acontecimentos antigos e para de reconhecer até mesmo os familiares.

Diferentes pacientes, diferentes resultados

A eficiência de qualquer tipo de tratamento nunca pode ser completamente afirmada. Cada tratamento apresenta diferentes resultados em diferentes pacientes. Cada organismo funciona de uma forma e tem uma necessidade. As pesquisas, além da grande relevância médica, têm o mérito de apontar benefícios de outros métodos além dos tradicionais.

http://www.namu.com.br/materias/massagem-e-otima-companheira-da-terceira-idade

Nenhum comentário:

Postar um comentário